Friday, December 21, 2007

24 / Caupers "CLEANING SA"

A prenda de Natal para oito empregadas de limpeza do Comando Distrital de Faro foi a notificação do seu despedimento a partir de 16 de Fevereiro de 2008, sem direito a indemnização nem subsídio de desemprego. Porque os contratos de trabalho que as empregadas tinham eram “não escritos”, a Directora do Departamento de Recursos Humanos, Teresa Caupers, cita um Decreto-Lei de 89 (427/89) para alegar a nulidade dos mesmos. Já aqui foi dito que a Senhora Directora para os Recursos Humanos da PSP, Teresa Caupers, invoca muito a lei. O que não é errado, antes pelo contrário. O que está errado é não ver que as leis não foram feitas para serem aplicadas numas alturas, e deixarem de o ser noutras. Se as Senhoras da Limpeza tinham ‘contratos não escritos’, não seriam elas que deveriam ser penalizadas, mas sim quem iniciou a relação laboral. E se durante anos, e por grande conveniência de serviço, as senhoras serviram, o mínimo que a PSP deveria fazer era regularizar a situação, não despedindo, mas mantendo, com 'contratos escritos', as funcionárias. Obviamente que todos nós sabemos que a seguir a este despedimento virá a contratação de uma empresa de limpeza, com empregados com vínculo precário 'escrito', a entrarem pelos gabinetes do Comando de Faro, a terem acesso a inúmera documentação e a conversa diversificada. Pois… mas cumpre-se a lei.

5 comments:

Anonymous said...

Pelos vistos a 'ilegalidade' é nacional. Braga, Barcelos, segundo o JN. Não basta haver uns comissionistas civis para impedir de haver ilegalidades. O pior é que quem fica com a fama é a PSP, os culpados vão cantando e rindo, e as vítimas... por acaso até se chamam mexilhões.

Anonymous said...

Tendo sido chamado a atenção para este blog, após uma breve e rápida leitura dá-me ideia de se ter criado aui uma leitura bastante interessante.

Não posso no entanto deixar de reparar que associa um movimento independente, e que na sua generalidade é apioante das forças de segurança, a outros movimentos cuja prática quotidiana é a desordem e a violência.

Há aqui um equívoco grosseiro de quem adicionou links ao blog sem efectuar um estudo prévio das associações em questão.

Com os melhores cumprimentos

policiadas said...

Caro «anonymous» de 'December 24, 2007 7:27 AM': - É verdade que na coluna anteriormente chamada "À MARGEM" e agora rebatizada de "MARGINÁLIA", há referências a sitios que aparentemente nada têm a ver com as Forças de Segurança. Mas é só aparência, porque na realidade quanto melhor as Forças de Segurança conhecerem a "Marginália", melhor preparadas estarão para enfrentarem os radicalismos.

Anonymous said...

E qual é o radicalismo do MPP? Quer-me parecer que alguém não andou a ler o site em questão...

policiadas said...

O posicionamento não era o mais correcto. Foi alterada a sua colocação. Está agora em «Tendências».Obrigado pela colaboração.