Monday, May 5, 2008

67 / Tibúrcio

Este senhor, que era Procurador Geral no Porto antes de se tornar Director Nacional da Polícia Judiciária, teve todas as oportunidades de se demitir. Este senhor deu todas as oportunidades ao Governo para o demitir. Mas nunca aconteceu. No caso McCann, para além de o ter praticamente deitado abaixo, e com ele o nome e o prestígio da PJ, ficou danado com umas observações -correctíssimas- dum Inspector e demitiu-o. Nas noites do Porto, ao ser nomeada uma equipa especial, deveria ter-se demitido. Não o fez. Ele andava à procura. Finalmente encontrou: após a aprovação da nova lei orgânica da PJ, em que o mesmo obviamente participou, o primeiro comentário que faz à mesma é dizer que a PJ afinal deveria mudar de Ministério. Já dizia o outro: «calado és um poeta!».

2 comments:

franco said...

Oportunidade Histórica - Não há memória que em democracia um governo tenha conseguido no espaço de um mês re-(mo)(ver)colocar os «três mosqueteiros». Sócrates passou a ser o D'Artagnan.

Anonymous said...

Discordo.

1. O caso McCann é um caso, entre muitos, onde os Investigadores da PJ levam ao extremo a incompetência. Por isso foi bom e importante o ponto de ordem.

2. Nas noites do Porto, a equipa especial veio reforçar aquilo que anteriormente referi… e alguém entendeu, por bem, combater a incompetência.

3. Há muito que as policias deveriam estar juntar sob uma mesma tutela, para não ocorrerem os enormes esbanjamentos de recursos humanos e materiais a que aliaria a informação,