Tuesday, May 20, 2008

72 / Disfuncional

Idos de 2004 - A estratégia de segurança usada por Portugal durante o Euro 2004 criou um modelo que pode e deve ser utilizado por outros países
Um dos grandes resultados do Euro 2004 foi o modelo de policiamento adoptado para o efeito: o modelo dos Níveis de Intervenção. Um modelo de baixa visibilidade, proactivo e enérgico quando necessário. A polícia deixava de aparecer musculada e ofensiva para aparecer, cooperante, compreensiva, mas também altamente segregacionista – no que à separação de adeptos complicados dizia respeito – e judicialista [pronta apresentação em Tribunal dos desordeiros]. Num estudo publicado no Weblog do Prof. Dr. Otto M.J. Adang, encarregado da Cátedra Manutenção de Ordem Pública na Academia Holandesa de Polícia, Professor Visitante na Universidade de Liverpool e na Academia Sueca de Polícia, diz que o modelo de policiamento criado por Portugal para o Euro 2004 foi um sucesso. Dois Professores seus acompanhantes, Martina Schreiber e Clifford Scott, ambos da Universidade de Liverpool, para descreverem a eficácia da polícia, referiram um comentário de um adepto alemão que quando confrontado com um grupo de adeptos rivais disse: «Eles provocaram-nos e queriam começar uma luta. Mas antes de o conseguirem, os polícias à paisana, que estiveram lá sempre, detiveram-nos». Chegámos à nossa questão: os polícias à paisana, os Spotters. Esta figura, que foi um dos pontos de honra e de sucesso policial do Euro 2004, tem vindo a ser desvirtuada. Serve para quê, se andam com os coletes a dizer «polícia» desde o princípio ao fim do policiamento? Quem autoriza e implementa estas medidas não pode deixar de estar muito enganado, pois não foi esse o espírito da sua criação. O Spotter é sempre um intermediário entre a tensão existente no local do evento e a ‘carga policial’. O Spotter, como acompanha grupos de adeptos, não faz carga policial, até porque está à paisana. O que se viu no Estádio Nacional no passado domingo, na Final da Taça de Portugal, com Spotters a fazerem carga policial, deita por terra um trabalho honesto e difícil, feito ao longo dos anos, a nível nacional, por verdadeiros Spotters, junto dos adeptos das equipas locais. Os polícias à paisana com colete de polícia que fizeram a carga, com bastões extensíveis [a PSP já fornece este material? Se fornece, desculpem a ignorância] não sabem o mal que fizeram junto aos seus camaradas de outros Comandos onde há futebol. Um Spotter não faz carga, a não ser em situações especiais. Não foi o caso.

17 comments:

Anonymous said...

Leitura atenta de quem está atento.

Anonymous said...

Muito trabalho terá de ser feito para mudar mentalidades e muitos de nós teremos de ser sacrificados até que a maioria entenda a missão dos spotters.
ainda assim, o spotting continuará a exisitir e a provocar reacções a favor e contra.

Anonymous said...

Sempre me ensinaram que o SPOTTER era o intermediário, o paciente, embora enérgico q.b. quando necessário. Fiquei surpreendido com o que vi nas bancadas do Estádio Nacional.

Anonymous said...

Muito bem observado. Quando será que a policia aprende a actuar em ROP (Restabelecimento de Ordem Publica)? Ex-gendarme

KIMBER said...

ADMIRADOS!?!?!?!?
MAS AINDA HÁ ALGUMA COISA QUE FUNCIONE BEM NESTA POLÍCIA!?!?!?!?
CLARO QUE EU ACREDITO QUE HÁ, CUSTA-ME MUITAS VEZES É A DESCOBRIR , MAS HÁ, ADMIRADO SE A POLÍCIA DISTRIBUI BASTÕES EXTENSÍVEIS? DISTRIBUI TANTOS COMO DISTRIBUI CARTEIRAS PROFISSIONAIS, COMO DISTRIBUI FARDAMENTO QUE NÃO CONSTA DO PLANO DE UNIFORMES, COMO DEIXA ANDAR CADA UM FARDADO DA MANEIRA QUE QUER, COMO CONTINUA A COMPRAR VIATURAS DE TODAS AS MARCAS E MODELOS, COMO ACABA DE ADQUIRIR ARMAS DE 9MM QUANDO AINDA HÁ VALTER 7,65 POR ESTREAR GUARDADAS EM ALFRAGIDE, QUANDO O REGULAMENTO DE ESQUADRAS E "POSTOS" CONTINUA A EXISTIR SENDO DO O DO SEC PASSADO, QUANDO CADA VEZ MAIS SE CRIAM ESPECIALIDADES NA PSP E SE RETIRA PESSOAL DA RUA PARA ESSAS ESPECIALIDADES, QUANDO SE CONTINUA A TER COMANDANTES DE COMANDOS QUE JULGAM QUE SÃO COMANDANTES DE DIVISÃO E DE ESQUADRA, ETC.... MAS EU CONTINUO NA MINHA, HÁ CÁ COISAS BOAS, POR EXEMPLO O PESSOAL QUE FAZ HORAS A MAIS SEM PEDIR NADA EM TROCA, APENAS PORQUE GOSTAM DDE SER POLICIAS, É VERDADE AINDA HÁ ALGUNS, MAS A PSP ESTÁ A VER SE ACABA COM ELES, PORUQE É ILEGAL TRABALHAR PARA ALÉM DO HORÁRIO NORMAL, POR ISSO TENHAM CUIDADO, NÃO VÁO SER APANHADOS E DEPOIS AINDA OS MANDAM FAZER HORAS A MENOS PARA ACERTAR O HORÁRIO

Anonymous said...

KIMBER, não há futuro nesta polícia, concordo plenamente consigo. o mais provavel, é sermos desmembrados e integrados na GNR como se fez com a antiga Guarda Fiscal. e era bom que quanto mais cedo melhor. ficaríamos com as regalias que tínhamos direito e com colocados no comando de origem muito mais cedo. mas... e os oficiais? teriam que fazer reciclagem? serviço militar obrigatório? a PSP vai-se desvanecendo a pouco e pouco, os nossos representantes(DN) nada trazem,de bom, pois não podem fazer frente às altas patentes da GNR. com armas novas em alfragide e tantos comandos onde o pessoal tem uma STAR... são uns verdadeiros bananas, aqueles que nos representam e nos dirigem. NÃO HÁ FUTURO PARA A PSP

Anonymous said...

Os dois últimos comentadores só estão na PSP porque querem, ambos são dispensaveis já ontem era tarde pra se irem embora. Já agora podem concorrer ao curso de guardilhas dos guitas, e aí têm variadissimas especialidades até segurar na mangueira talvez essa seja a vossa verdadeira vocação.

Franco said...

Este BLOG existe para debatermos ideias. Sempre se criticou sem ofender. Porquê agora? Já se disse aqui várias vezes que não temos que concordar uns com os outros, mas certamente que -à excepção dos autores da forte edjectivação- concordamos todos que manter uma discussão sem insultos e ofensas é fundamental.

Anonymous said...

Ao menos por uma vez que se comece a colocar neste blog ideias/soluções para os problemas que afligem os policias e polícia.
A PSP é uma força hierarquizada, e a verdadeira força começa por defender-mo-nos a nós próprios e não amesquinhar uma ou outra classe. Os agentes, os chefes, e os oficias são a PSP, cabe-nos a nós defender as classes da PSP.
Uma questão para a discussão.
Serviços Sociais.
No contexto actual (os nosos descontos pagam vencimentos) serão essenciais. Não seria mais rentável
o montante que todos pagamos para o SAD e SS ser nglobado num único desconto de saúde (que englobasse ao mesmo tempo acrécimo de pensão).
Todas as opinião são válidas e é da discussão que há-de aparecer a melhor solução.
Saudações para todos os policias.

Anonymous said...

Não parece que seja função/obrigação do/s autore/s do POLICÍADAS encontrar soluções para os problemas da/s Polícia/s. Acho que este espaço foi criado para debater ideias e tem-no feito bem. Eu gosto. Uma leitura atenta aos 'posts' verifica-se que alguns até apontam nalguma direcção/solução. Devia haver mais locais como este. A própria DN/PSP devia dinamizar um local como este.

Anonymous said...

Camarada Kimber
Não se iluda quanto á GNR. As coisas por lá não melhores . Se ler os blog deles verá que a conversa é a mesma. Se pensa que as condições de fusão com os picas eram as mesmas desengana-se. Eles não querem serem militares e vocês quereriam? Continuem assim que eu por cá vou passando para vos ler. Saudações revolucionárias.

Anonymous said...

Concordo plenamente com o autor do post de 24maio 12:33. A própria DN/PSP deveria incrementar/dinamizar um local para aceitar as sugestões/critícas

Anonymous said...

Saudações Revolucionárias!? Hum, Hum... Estamos em Maio. Em 2008 e não no de 1968. Mas antes deste Maio revolucionário, não se esqueçam do 28 de Maio de 1926.

[Os diversos problemas que afectaram a 1ª República, tais como a participação na I Guerra Mundial e as sucessivas instabilidades, quer políticas quer económicas, levaram à formação de uma corrente oposicionista bastante forte. O operariado, os capitalistas e variados sectores da direita, temendo que Portugal enveredasse pelo socialismo dominante na Rússia, fomentaram a existência de grupos armados de extrema-direita, com o intuito de formar um "governo forte" que melhor defendesse os seus interesses. Após vários golpes fracassados, como o que teve lugar a 18 de Abril de 1925, um deles foi bem sucedido: o de 28 de Maio de 1926.
Iniciado em Braga, o golpe militar teve como mentores o General Gomes da Costa (comandante militar) e José Mendes Cabeçadas, entre outros, onde os militares e os civis antiliberais desempenharam papel preponderante» - Fonte: Centro de Investigação para as Tecnologias Interactivas]

Anonymous said...

Meus senhores, segundo os meus cálculos, este país só vai ficar bom daqui a umas 4 ou 5 gerações. isto porque enquanto houver senhores com tiques ditatoriais, tiques de intocáveis, de acima da lei, de a lei é para os outros e não para mim, de está bom para mim os outros que se f*****, etc., etc., não estou-me a referir exclusivamente a forças de segurança, mas enquanto houver senhores com embotamentos agudos como estes, este país vai continuar a sua veloz regressão. Por isso caros senhores a breve trecho nada vai mudar, porque estas mentalidades tendem a desaparecer, mas muito lentamente.

Mag. said...

Vejo aqui muitos comentários favoráveis á GNR em detrimento da PSP, esquecendo-se que a instituição é enaltecida pelo comportamento e atitudes de cada elemento que a compõe. Nada tenho contra qualquer outra F. de seg., mas jamais trocaria A PSP onde servi por quaquer outra.aconselhava aqueles que dizem o contrario a ir fazer uma temporada á GNR para depois contarem a experiência.

Anonymous said...

É certo que este espaço é para criticar e expor as diversificadas opiniões sem ofender mas tambem não será menos verdade que para ter opinião e criticar tem de se saber o que se diz e do que se fala é que para falar basta ter boca

Anonymous said...

Mesmo com distância temporal (4 anos) quero dizer que não trocava a GNR por nada muito menos por uma policia indisciplinada,agressiva mal preparada e mal enquadrada. Se porventura passasse pela cabeça dum burro fundir uma organização civil com uma força militar, era mais que evidente que os actuais chefes dos policias teriam de fazer serviço militar antes de serem
m integrados. Uma coisa é ser comandante (militar) outra bem diferente chefe de policias.
Até ver.