Sunday, May 11, 2008

71 / Distracção – (3)

Afinal também nós andamos distraídos. Sem desculpas, mas o facto é que os assuntos são tantos, a selecção dos artigos é exigente, não há tempo para digerir a agenda, resultando o que resultou. Então, não é que ao fazermos o post 66 / Começar Mal (ponto final) demos por encerrado um assunto das colocações dos oficiais? Só mesmo uma grande distracção. É que para além dos Intendentes que foram colocados, ainda só (!) falta movimentar os Subcomissários que foram promovidos a Comissários e destes, os que foram promovidos a Subintendentes. Distracção imperdoável.

14 comments:

Anonymous said...

Haviam "as listas de Caupers" agora são "as listas esquecidas".
Mas penso que o problema seja o de tentar adequar as pessoas certas aos lugares certos !!!(até eu me admirei do meu próprio comentário).
Como um colega nosso costuma dizer, temos agora promoções de "almofada" as competências ganham-se a dormir, deita-se com um posto e acorda com outro, "modernices" (mas só para alguns porque para outros o dia nunca mais amanhece).
Um abraço a todos os policias.

Anonymous said...

é verdade, realmente esta historia de haver oficiais de primeira e de segunda ainda há-de dar que falar.
senão vejamos:
1-concurso de avaliação curricular igual para todos no mesmo posto
2- lista de vagas diferentes para o mesmo posto
3-classificação final, numa lista única para todos
4- são promovidos uns e uns outros, ou seja se eu ficar em 20 e for de carreira base não sou promovido apesar de ter nota positiva, se ficar em 50 mas for licenciado sou promovido, mesmo com nota negativa, pois alguém acrescenta uns pozinhos para não parecer mal e passar a ter nota positiva, mas mesmo ficando atrás na classificação é promovido. afinal parece que as funções desempenhadas são diferentes, mas isso ja sabia-mos, há os que são policias e fazem serviço de policia e há os que vestem a farda, recebem como policias mas estudam para a promoção só
é portugal no seu melhor

Anonymous said...

Concordo que já é tempo de acabar com estas situações. A polícia tem que ir ao «psiquiatra» e começar a resolver os seus problemas existenciais. Se andamos cá todos, porque é que há tratamento dierenciado? E porque é que as regras de avalação curricular mudam de concuro para concurso?

Anonymous said...

a "infecção" já anda por cá há muitos anos.
e combater de forma eficaz "tal mal" só é possível se eliminar-mos certos vírus há muito entranhados neste "corpo estranho".
É POUCO PROVÁVEL QUE ACONTEÇA

Anonymous said...

Bom. Esta Polícia está muito fragmentada e, em vários níveis, pois é urgente restabelecer a ordem natural . É necessário dignificar quem contribuiu pela imagem da PSP ( antes de 1990 ), porque nos anos 80/90 éramos muito superiores a GNR. Não só ao nível da imagem pública, como no trabalho ( mais camaradagem e espírito de missão). Agora inverteram-se as posições; GNR na mó de cima e a PSP a ver passar a romaria.
Motivos: falta de camaradagem/desconfiança entre os oficias ( os de 1ª. e os de 2ª. ), entrada de civis sem qualquer espírito de missão e formação, chefias, poder político e conjuntura nacional/internacional.
“Esta não é a minha Polícia”

Anonymous said...

De facto é lamentável a distinção que se faz entre os chamados oficiais de "1.ª" (Formação) e os oficiais de "2.ª" (Promoção). Quantos oficiais de "2.ª" estão a comandar? Nenhuns! Porquê, são incompetentes? Não parece. Vimos que alguns dos chamados oficiais de "1.ª" estavam a comandar com desacerto e continuam a comandar e alguns oficiais de "2.ª" estavam a comandar com acerto e deixaram de comandar. Temos que apoiar esta nova Direcção, ela merece, mas é bom que não continue distraída nesta matéria, porque os oficiais oriundos dos cursos de promoção também são competentes e merecem oportunidades. Vamos, de uma vez por todas, a acabar com as diferenças. É legítimo que os oficiais de "1.ª" ascendam em maior número e que lhes sejam confiados a maioria dos lugares de chefia, mas também devem, na proporção, ser reservados lugares de topo aos oficiais dos cursos de promoção. Há oficias de "1.ª" que, de facto, são de "1.ª", (muito competentes) mas também há alguns oficiais de "2.ª" que também são de "1.ª". É altura de acabarmos com as diferenças, só temos a ganhar com isso. Espírito de corpo entre todos, sem excepção, é o segredo da vitória. Vamos dar um voto de confiança a esta nova Direcção e esperemos que se acabe com esta divisão inexplicável. A GNR soube integrar os oficiais milicianos, dando-lhes oportunidades idênticas aos oficiais da academia, façamos o mesmo na devida proporção. Um abraço a todos os polícias.

Anonymous said...

Já agora lembrar que nesta nossa Policia só há excelencia nos oficiais...

Lembram-se das promoções por excelencia - digo distinção - de oficiais nos ultimos anos???.

Mais uma vez os meus parabens, aos esquecidos, aos deixa andar e às associações que por aqui andam.

Anonymous said...

A excelência só existe nessa classe?Sabem onde se vende inteligência???????????Estará na genética dessa "casta"??????????Por favor,tenham cuidado no uso da palavra já que pelo menos têm essa obrigação por "formação".Ah!!!....já me esquecia cuidado com os jantares..........

Anonymous said...

Quero acreditar que as Reuniões de Comando , nos diferentes níveis são acaloradas,corajosas,estratégicas,etc,etc.ORA BOLAS!!!!AGORA QUE O SONHO ESTAVA A SER BOM..........

Franco said...

Não se pode acreditar em tudo o que se "vê" nem em tudo o que se "ouve".

Anonymous said...

parece que afinal o mal continua na nossa polícia, toda a gente fala, toda a gente tem queixas, não sei se alguém nos sítios certos apresenta soluções ou não, mas o que eu sei na realidade é que há muitas e boas soluções para resolver os problemas, o problema é que provalvelmente elas não chegam aos ouvidos de quem tem poder ou se chegam então é pior, faz orelhas moucas para não ficar mal perante quem indigita para o lugar em vez de defender a sua polícia. esta questão dos oficiais, e não só porque nos chefes com curso de ajudante também foram prejudicados, mas nos oficiais o que se vê é subcomissários a serem promovidos ao fim de 4 anos, os dois terços das vagas são sempre o número exato de elementos a promover, o restante terço das vagas apenas permite promover subcomissários que estão em fim de carreira e o que é que a polícia ganha com isso? nada! já vi elementos serem promovidos e imediatamente querem ser reformados,mas isto é o que interessa aos oficiais licenciados, pois assim não há concorrência para os lugares de topo, mesmo que não tenham experiência ou competência, mesmo que na classificação final do concurso tenham ficado muito para trás dos outros. Sou subcomissário, e quero ser licenciado em ciências policiais também posso? claro que não! aquela licenciatura é apenas para quem ainda não é oficial, ou seja nunca vou poder concorrer em igualdade de circunstâncias com os senhores licenciados pelo ISCPSI, porque mesmo após licenciatura cá fora, fico sempre atrás! é isto a igualdade de oportunidades que a constituição ordena? enfim portugal no seu melhor

Anonymous said...

Temos que deixar de ser uma polícia a várias velocidades. Vamos impôr regras, trabalhar com regras,ir para a frente. Temos que saber com que contar, senão, passamos a maior parte do tempo a tentar proteger-nos e a olhar para os 'colegas' como adversários, ou mesmo inimigos.

Anonymous said...

eu não "vi" nem "ouvi",mas não é difícil imaginar,os "comandantes" ou será "mandantes" a terem na retina a "cadeira do poder",logo..........Os outros que se queixem,cada um faz o seu papel.!!!!!!!!!!!ONDE SERÁ QUE VI OS "gladiadores"?????????????
O-R-G-A-N-I-Z-E-M_S-E.
Coitados dos mexilhões..........

Anonymous said...

Tanta lamechice!!!!!!!!!!TORNEM FORTE AS BASES,PARA QUE FORTES SE TORNEM.Ou será que é pedir muito aos senhores "mandantes",peço desculpa,"COMANDANTES".