Sunday, March 8, 2009

112 / O Novo Estapafúrdio Orgânico

Já foi posto a circular, supõe-se para consulta(?) e opinião(?), o chamado “Novo Estatuto Orgânico”, ou seja, o projecto-lei daquilo que, já se sabe, vai ser o amontoado de artigos que vão definir um comportamento policial nos próximos anos. Mais uma vez, vem encapotado pela consulta democrática, quer aos Sindicatos quer a alguma hierarquia, pois diz-nos a experiência que, quando a coisa vem para os dirigentes policiais e representantes sindicais se pronunciarem, já está tudo decidido.
O que é que realmente este “Novo Estatuto Orgânico” traz de novo? No que é que ele marca mesmo? A resposta é simples: A abolição em definitivo da importância estratégica de se ser polícia sem se ser especialista, i.e., ser patrulheiro, ser graduado de serviço, ser polícia de giro, enfim, chama-lhe o que quiserem, mas ser-se polícia normal.
O “Novo Estatuto Orgânico” parece o QREN, pois são tantas as tabelas e as formas de subsidiar os polícias especialistas.
Que se saiba, ninguém é obrigado a ir para o GOE, CI, CIEEXSS, SEGURANÇA PESSOAL, DIC, etc., etc. Estes especialistas são todos voluntários!!! Passam anos fora da realidade policial, daquela realidade que fornece os números e põe os governos aflitos. Estes especialistas quando se alistam já não querem ser patrulheiros. Como prenda de vontade, dá-se-lhes um subsídio. Subsidiar o quê? Estes especialistas ficam com os “melhores” polícias, gasta-se com eles mais recursos, mais viaturas, melhores instalações, são considerados especiais, não enfrentam o mundo real e no fim dá-se-lhes um subsídio? Isto está tudo invertido. Este “Novo Estatuto Orgânico” não foi feito para POLÍCIAS. Este “Novo Estatuto Orgânico” foi feito para umas pessoas que normalmente têm vergonha de ser conotados com os POLÍCIAS NORMAIS. Sentem-se num mundo à parte. Realmente estão num mundo à parte.
Este “Novo Estatuto Orgânico” não foi feito para POLÍCIAS.

16 comments:

angélica said...

Gostei do que li. Sinto-me assim. Afinal se o Estatuto vai ser assim, que fique como está, porque as divisões antigas já nós as sublimámos.

Anonymous said...

É verdade que estes especialistas, vão para a especialidade porque querem, mas não é menos verdade que não vão todos os que querem. Vão apenas os que podem e têm capacidade para tal. E não deverá essa capacidade ser premiada?
Até concordo com se discutam os números, mas não mais que isso...

Anonymous said...

Sim, alguns até sabem do que se passa relativamente ao estatuto...

Mas a grande maioria não o sabe, ainda não leu a proposta do MAI e nem vai ler.
A grande maioria nem sabe da existência deste BLOG ou de outros sítios na NET .

Agora quanto ao assunto principal

o desaparecimento do patrulheiro em deterimento das chafaricas modernas...

Sem ofensa aos bons profissionais que por lá andam, mas sinceramente o pessoal faz falta e cada vez mais, NA RUA a combater o crime e a devolver a segurança aos cidadãos.
Ainda ontem, na áera da minha Divisão, estavamos apenas 4 homens, graduado incluído... E existem lá quase 50 homens só na investigação criminal quantos estavam lá ontem?? e hoje?? APENAS DOIS. Oficiais? apenas o Oficial de Dia que nem o vi nem ouvi. Comandantes de Esquadra??? nicles!! Chefes e Sub-chefes??
está tudo doido!! Só há policias a trabalhar das 9H00 às 17H00 de Segunda à Sexta, e na Sexta já não aparece ninguem...
O pessoal que trabalha por turnos na patrulha é tão pouco que METE DÓ!!!

Temos futuro, mas só no papel.

E por falar em papel, porque não divulgar o estatuto nas esquadras de forma a que todos o leiam, comparem com o que ainda está em vigor, e debatam abertamente as vantagens e desvantagens!!!!? e vejam o que nos querem tirar!!!!

Anda tudo cego e a dormir. Há homens a trabalhar por turnos fardados sozinhos!!! sem coletes nem armas nem formação...

Sempre que quero ajudar o cidadão ele não quer a minha ajuda!! Acabou de ser autuado mais uma vez em local de caça à multa!! radar de velocidade...
Ora bolas, que futuro irá ser o nosso???
Eu quero mandar criminosos para a prisão, quero apanhar e autuar quem faz corridas de noite,
MAS NÃO QUERO QUE ME AMEACEM Á PORTA DE CASA NEM À MINHA FAMÍLIA...!!!
Eu quero ser polícia, mas isto não é nada. E´já não falo nos gratificados,(tenho a sorte de não precisar) serviço que muitos fazem por necessidade em deterimento da vida pessoal e POLICIAL, pois há muitos a pagar para ter este ou aquele gratificado neste ou naquele dia etc etc.
Cumprimentos a todos os que andam por aí e sabem do que se passa.

opc

Anonymous said...

Fazer buscas domiciliárias em locais perigosos, executar mandados de detenção, ser nomeado para operações nocturnas de combate ao "carjaking", fazer vigilâncias, flagrantes delitos, etc...tudo isto é estar fora da realidade???????
Claramente quem está fora da realidade do que hoje é a investigação criminal é o autor deste ignorante artigo

Anonymous said...

Se houver uma grave alteração à ordem pública, quem a vai resolver? o patrulheiro "normal"?; Se houver uma ameaça de bomba, quem a vai inactivar? O patrulheiro "normal"?; se houver um atentado terrorista com tomada de reféns, quem os vão resgatar? o patrulheiro "normal"?; se houver um grupo a traficar droga, quem está em melhores condições de o investigar? o patrulheiro "normal"
Olhe meu caro amigo, pouco "normal" é este seu artigo que só revela uma de duas coisas: ou ignorância ou pura e dura inveja.

Anonymous said...

Caros últimos comentadores.

Gosto do que faço. Patrulha. E é isso que quero continuar a fazer.

Nem todos os comandos são como o Cometlis, onde prestei serviço durante alguns anos.
Daí talvez a confusão gerada pelo meu texto.
Não está em causa a utilidade das forças especiais aqui mencionadas, muito menos a qualidade dos homens que nelas prestam serviço.
Referia-me ao serviço de patrulha que cada vez mais é esquecido e que está em permanente contacto com todo o tipo de situações com poucos meios e sem formação contínua. desculpem lá se ofendi alguem, não era esse o meu objectivo.

opc

Anonymous said...

Queriam melhor com os sindicatos que temos?Palpita-me que vai ficar tudo como dantes.Não tenho convicção de que o mesmo seja aprovado por este ministro, até o António Costa (seu correligionário) diz mal dele.Quanto ao conteúdo do Post quero dizer, que é possível defendermo-nos, sem atacar os outros.Sou adepto das especializações, porque trás mais saber á função.Um cirurgião é diferente do clínica geral.O patrulheiro deve ser defendido até á exaustão, porque é a imagem da Instituição e o primeiro a pegar o "boi" pelos cornos.A vertente de policiamento de proximidade deve ser primordial tarefa do patrulheiro, através da especialização em relações sociais.É possível suscitar a discussão, sem ser através da polémica, basta discorrer de forma racional.

Anonymous said...

Como contribuinte parece-me que há especialidades a mais dentro da psp.Como policia administrativa deveria preocupar-se mais com o cidadão e deixar algumas tarefas para as outra policias mais especializadas que acabam por se sobrepor. Para quê uma "unidade" que engloba o ci o goe os cães os explosivos ? Em nome de uma unidade de comando? Não será um exagero? E comandada por um intendente. Ao que julgo saber o conteúdo de intendente não prevê um comando/chefia desta natureza e dimensão. Mas é só um palpite. digo eu. Esta "reorganização" das FS foi um perfeito aborto que um próximo governo sério com gente minimamente capaz certamente revogará

Anonymous said...

Gostei de alguns comentários expostos, acrescento o seguinte:
O Projecto a Lei seria aceitável se a PSP “nascesse” no dia em que ele fosse aprovado. Não havia problemas a dirimir com as classes e categorias, vencimentos, porque as pessoas tinham de se sujeitar ao que lhes era apresentado.
Este Projecto esquece-se da essência da PSP ( Homens – Agentes, Chefes e Oficiais ) que dignificaram a instituição com o seu trabalho meritório, onde tinham vencimentos baixos, poucas condições de trabalho e muita vontade de ser POLÍCIAS. Actualmente, verifica-se uma desmotivação colectiva, atinente à disparidade de regalias, vencimento, progressões na carreira e condições de trabalho que uns têm e outros não. Iremos ter pessoal a ter como vencimento 750€ e outros + 5000 €. Há Justiça SOCIAL !!??? .
Veja-se o que é salvaguardado no projecto de diploma:
1. Super-vencimentos para os Oficiais Superiores ( onde é gasto grande parte do orçamento da PSP );
2. Como até aqui, no ano x são sempre promovidos;
3. Condicionar a progressão remuneratória e nas categorias, com a excepção da sub-categoria que esteve na feitura do ante-projecto;
4. Um reforço à equiparação à função pública, porque interessa a alguns (pequena percentagem mas têm o poder );

Anonymous said...

Já fui protegido tanto pelo CI como pela DIC. Mas a questão é: se a PSP é uma Polícia para PREVENIR, porque é que se «paga melhor» a quem pertencer a uma Polícia REACTIVA?

Anonymous said...

confesso, quanto mais conheço os polícias menos gosto deles. É só inveja, mesquinhez, estupidez...
Quem aqui se expressou, não sabe aquilo que diz, aliás, insulta a inteligência de pessoas que não são estúpidas.
No meu caso, 12 anos em funções de patrulha, 5 em Investigação criminal. De acordo com muitos que aqui escrevem, 12 anos de bestial, 5 de besta!... Não serei a mesma pessoa, mas com uma função diferente. Que rótulos são esses?!...
Reafirmo, somos porcos, feios e maus e temos há muito aquilo que merecemos, porque de facto não merecemos mais.
Aqui se vê.
Sei bem o que é ser-se patrulheiro. Mas também sei o que é ser "investigador". Acima de tudo, tenho honra e dignidade para dizer que muitos de nós nem polícias devíamos ser.

Anonymous said...

concordo totalmente com o último comentário,quem para cá vem é para servir não para definir regras.

Anonymous said...

March 12, 2009 8:21 AM

Se todos fossem como Vc na forma de pensar, ainda estaríamos na idade da pedra.Não tenhaa medo da crítica.

Anonymous said...

para vc, o censor de serviço, do costume quero dizer-lhe, que quanto a evolução quando vc vai já eu venho, com a sua forma de pensar não sei se faáas coisas avançar ou regredir, não será certamente por muito forçar a nota que as coisas andam mais depressa tudo tem o seu tempo próprio

Anonymous said...

Boas.... é a primeira vez que aqui venho.... e pelo que leio acerca deste artigo e do seu autor, cheira-me a um frustrado, que se clhar "queria ir e não foi"..... sem comentários....

Anonymous said...

(Frustração )e outros considerandos, são chavões, aplicados á falta de melhor argumentação para esgrimir,eu posso dizer-lhe, que já estive e partilho a opinião do autor do blogue,pessoas com a sua visão sei por experiência própria que as há nesses serviços,felizmente são uma minoria.