Thursday, March 12, 2009

113 / O Mundo é dos Jovens

ASSUNTO NÚMERO UM - A mensagem 112 / O Novo Estapafúrdio Orgânico não funcionou como se pretendia. A intenção foi alertar para o facto de que a Polícia generalista e preventiva estava a desaparecer. A Polícia tal como ela deveria ser, a do patrulheiro, da prevenção e da comunidade, para sobreviver, estava a necessitar de Programas Especiais, tal como o Programa Integrado de Policiamento de Proximidade, os antigos programas da Escola Segura, Comércio Seguro, Igreja Segura, etc. O Ministro da Administração Interna, qual Rousseau, inventou um Contrato Social. Afinal o que é isso do Contrato Social? É tão somente o espelhar da Teoria da Obediência, de que os pactos são para serem cumpridos [Pacta Sunt Servanda] e que não é nada mais que o Princípio Base de todo o Direito tal como o conhecemos, ou deveríamos conhecer. Ou seja, para sermos iguais a nós próprios estamos a reiventarmo-nos, estamos a criar de novo. À custa de quê? À custa da sangria da PSP enquanto entidade de policiamento geral e preventivo. Apostar-se em investigação criminal, tal como ela está, estamos a ser lacaios dos tribunais. [Os mesmos tribunais que ouvem os arguidos e os soltam enquanto nós ficamos horas à espera sem sermos atendidos]. Além disso não é nossa vocação. A PSP «quer» abarcar tudo e acaba por não ter nada; e o pouco que tem vai para o financiamento das «polícias especiais». Resumindo, criticou-se as opções políticas. Não se criticaram os polícias que, basicamente, as cumprem. Ninguém passou de bestial a besta.
ASSUNTO NÚMERO DOIS - O Diário de Notícias de 13 de Março [Jornalistas Licínio Lima/Rofrigo Cabrita] apresenta o seguinte texto: «Polícias protestaram ontem junto à residência do primeiro-ministro. Luís Maria, agente da PSP na Amadora, quer transferir-se para a GNR. Tem 42 anos, 23 de serviço e alcançando aquele desejo poderá reformar-se daqui a oito anos. Se permanecer na PSP só o conseguirá aos 62». O Expresso Online, [jornalista Ricardo Marques 19:35 Quinta-feira, 12 de Mar de 2009] publica o seguinte: «A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), recebida ontem pelo secretário de Estado da Administração Interna, anunciou esta tarde que não vai participar na manifestação das forças e serviços de segurança marcada para o próximo dia 31». Sintomático.

15 comments:

Anonymous said...

Sintomático? Isto já não é sintoma. É maleita!

Lino said...

O Luís Maria é de que curso para ter 23 anos de serviço???

Sintomático é os Sindicatos, desde sempre, se deixarem enganar em detrimento de outras forças de segurança.
Temos sido enganados, vamos voltar a ser enganados...

Anonymous said...

O quem?????

Anonymous said...

113 - Mais uma da "facção" anti investigação criminal na PSP!
Resumindo: Ou desconhece plenamente a realidade da investigação criminal ou tem pena de nunca lá ter estado.
Será que ainda não percebeu que esta franja criminal - Pequena, Média criminalidade - somos nós PSP que estamos em melhores condições de combater prevenindo mas também investigando??
Ainda não percebeu que só com competências materiais de investigação criminal se pode, efectivamente, combater o crime??
Eu sei..."isto" da Investigação Criminal é areia demais para certas mentalidades...

Anonymous said...

Estes nossos representantes sindiciais são do melhor! 42 anos de idade e já 23 de serviço! Deve ter entrado com algum BI falso ou será que, excepcionalmente, deixaram-no entrar com apenas 19 de idade?!
É o descrédito absoluto!
Por mais verdades que diga a seguir, ninguém acreditará nele e sendo ele um representante sindical, quem acreditará nos polícias....

Anonymous said...

Estão a esquecer-se das percentagens. Também eu me mudava para a GNR nessas condições

franco said...

Há pessoas que continuam a não perceber a mensagem: a investigação criminal faz falta sim senhor. Mas a vocação da PSP não deveria perder tempo em trabalho deste género. Deveria ser preventiva e de flagrante delito. Tudo o resto deveria estar numa polícia de investigação reactiva. A procura do «grande resultado» das «grandes detenções», de «grandes capas de jornais» desvia fundos/comandos/atenções para aquilo que deverá ser um trabalho de visibilidade, acompanhamento, etc., etc., etc., Será que é difícil de compreender?

Anonymous said...

Franco, Desculpe mas SIM É DIFÍCIL ENTENDER!.
Esta sua visão é extremamente redutora da actividade de uma Polícia integral como é a PSP.
O amigo acha que a produção de prova para em sede de inquérito para punir o criminoso é perca de tempo para a PSP?; o amigo acha que investigar para prender criminosos é perder tempo?
Investigar com qualidade é uma forma de prevenção criminal sabia?
Sabia que os elementos afectos à IC também fazem flagrantes, operações de prevenção etc...?
É muito difícil para muitos polícias entender como tudo isto, na sua boca, é "Perder Tempo"
Volto a dizer: EU SEI, "ISTO" DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL NA PSP É AREIA A MAIS PARA CERTAS MENTALIDADES...Mas fique a saber, à custa da Investigação Criminal a PSP tem ganho prestígio junto das Magistraturas (e do cidadão em geral)

Anonymous said...

Amigo deste último comentário: Não perca o seu tempo nem gaste o seu latim com estes detractores da Investigação Criminal na PSP.
Ou são indivíduos que nunca cá passaram é desconhecem a realidade (o que não os demove de arrotar postas de pescada), ou são velhos do restelo, cheios de vícios que ficam em pânico com a evolução e mudança.

Anonymous said...

Pois... não tarda nada parece a guerra entre os romanos e os B.T. lá pros lados da GNR... (sem querer ofender ninguem)
Ó pessoal da I.C. , não se sintam atacados porra!!!
Nem é caso para tanto... Fazem cá falta sim senhor.
E as restantes "especialidades" tambem.
Mas é incongruente haver tão poucos meios humanos e materiais na patrulha propriamente dita...
Vejam lá se se acalmam porque a vida custa a todos ok?
Ou já se esqueceram como era ser patrulheiro?
Cumprimentos a todos. gregos e troianos.

Anonymous said...

March 14, 2009 5:08 AM

Gostava que me falasses de alguns processos por ti investigados e as suas conclusões/resultados.
Investigadores que andam com os carros descaracterizados pelo Bus, com o E/R na mão e a pistola á vista? Não concordas que esses investigadores deviam andar uniformizados?
Quanto aos sindicatos, são a m.... do costume.Demasiado parecidos com os vendilhões do templo.
Quanto ao assunto do Post, reafirmo que os programas "especiais" são a constatação cruel, mas verdadeira, da falência da segurança que o Estado nos deve.Ex: se há "escola segura" é em função dos crimes que por lá se cometem,se há "comércio seguro", é porque os estabelecimentos são assaltados, se há "igreja segura", é porque há igrejas assaltadas

Anonymous said...

Falo-te com muito gosto dos meus processos e dos seus resultados! A propósito, já alguma vez investigaste algum propcesso? espero bem que sim, porque da nmaneira que falas (escreves) já devers ter investigado alguns...
Quanto aos investigadores com rádio e pistola à mostra, concordo plenamente, mas esses pertencem a carross patrulha não uniformizados, não ao dispositivo de investigação criminal...(espero que entendas a ironia!!!)

Anonymous said...

Inteligência privilegiada esta do penúltimo comentarista!
Então, nessa linha de pensamento, se há Polícia porque é que há crime???
deve ser aquele tipo de pessoa negativista que diz mal de tudo e de todos e quando já não tem mais mal a dizer de ninguém,olha ao espelho...

Anonymous said...

March 21, 2009 1:59 PM

Como estou bem disposto, hoje vou responder-lhe:
Se há policiamentos "especiais" para segmentos específicos, é porque o policiamento normal falhou, percebe?
Não se trata de ser negativo ou positivo, simplesmente observar e comentar factos.
Relativamente ao olhar-me ao espelho, concerteza, gosto de ser como sou, comparativamente.
Quando não houver mais nada para criticar, é porque estou de acordo, ou não me apetece responder.
Em última circunstância/análise posso sempre comentar o silêncio dos outros ou o meu, "capice"?
A expressão "comentarista" será típica de alguém ligado á Cavalaria ou ás Novas Oportunidades?
Saudações policiais e volte sempre!.

Anonymous said...

Quanto ao facto de responder porque está bem disposto...típico;
Quanto à expressão "capice"...típico;
Relativamente à Cavalaria, temos o nosso Director Nacional;
Relativamente às Novas Oportunidades, conheço excelentes profissionais de polícia que as estão a aproveitar!
Quanto a mim...azar o seu, nem uma nem outra, simplesmente Polícia.
Chiau!