Monday, July 21, 2008

83 / O Caminho

Vamos directos ao assunto: CARJACKING. Criar equipas especiais para combater este 'fenómeno' não é bom sinal. Embora possa acalmar algum público, o efeito do marketing poderá ser, eventualmente, muito mais eficaz. Não se duvida que uma equipa ou outra venha a ter, obrigatoriamente, algum sucesso, mas o caminho não será por aí certamente. O fenómeno existe não por falta de repressão policial, mas sim pela impunidade do mesmo: as leis são favoráveis para os impetrantes. Como não se acredita que que a polícia possa ter acções [mais] violentas daquilo que a lei permite [sim, não estamos no Brasil] não podendo atirar a matar [salvo, grosso modo, em caso de legitima defesa própria ou de terceiros] não se vislumbra qual o efeito continuado destas equipas [a não ser o marketing, tal como foi dito]. Por outro lado, transformar a polícia em força reactiva de rotina em vez de preventiva, estamos a dar um passo largo para nos tornarmos numa polícia violenta e intolerante. [E amanhã este Ministro já cá não está]

13 comments:

Franco said...

Isto não está fácil.

Anonymous said...

Estará na altura certa da PSP apostar em mais reclassificações de Drs. Agora procurar alguns com curso de Marketing. Talvez pela primeira vez desde há muitos anos consigamos bater a GNR e os politicos nesta área. Os olhos comem aquilo que vêem, mesmo que cheire mal que estresande...

Anonymous said...

Marketing do mais puro.Como é que tanto Dr. que existe nesta Instituição, não alarga horizontes, pensa e aplica medidas sérias.As equipas agora apresentadas,podem apanhar alguém por mera sorte, se o roubo, pois é disso que se trata, ocorrer muito perto do local em que estejam no momento.Apresentar estas equipas depois da publicitação do Sr. IGAI, em que é proibido disparar sobre viaturas em fuga, leva-me a concluir que no MAI não existe coordenação, ou mais grave ainda, pode haver mais do que uma pessoa a mandar.Os políticos que distribuam viaturas adequadas pelos serviços já existentes e talvez os resultados sejam melhores.O melhor método de combater este método de roubo são, OPERAÇÕES STOP, bem planeadas e estruturadas.Sabendo a nossa Instituição dos horários de maior incidência, os locais de maior risco, não é pois, difícil planear e executar acções deste género desde que o Sr. IGAI esteja calado.Sem custos adicionais, com menos riscos para todos os intervenientes e de eficácia comprovada, insisto, se BEM planeadas e executadas, porque temos gente capaz.Já agora um carro em fuga pode levar o meu filho, que até pode ir a conduzir sem carta, mas também pode levar o meu filho violado e raptado ou até morto.Reflitam um pouco sobre isto também.Saudações Policiais

Anonymous said...

continuamos na treta, e melhorar as condições e meios de trabalho é que nada.
estava neste momento a ver a inauguração na TV da esquadra da Alta de Lisboa, em que os jornalistas mencionam que aquela esquadra vai funcionar com 30 efectivos paras as freguesias tal e tal. Espanto 30 !?!?!?!? isto dividido pelos turnos, ferias folgas e sindicatos e afins dá o quê por turno? 1 carro patrulha!? talvez com sorte, mas apareceu toda a gente na inauguração da esquadra, de onde foram tirados os efectivos? que eu saiba não terminou nenhuma escola, enfim

KIMBER

Anonymous said...

Será mesmo este o caminho??
Se for é lamentável! Parece-me óbvio que devemos mostrar o que de bom fazemos, ainda que com limites...
Mau é quando mostramos o que não fazemos. Estas equipas especiais estão a trabalhar desde Maio e fizeram o quê de palpável? Nada! Nem um único carro recuperado! Nem um único carjacker identificado! Mas são mostrados e já indicados como os responsáveis pelo abrandamento deste fenómeno.
Relativamente a este fenómeno, deixo ainda um questão. Será que as Polícias não têm contribuído para o mesmo? A verdade é que foi pela boca da Polícia que todo o povo ouviu falar e ficou a conhecê-lo. E ficou a saber como se faz e, ainda, que é um crime da moda! Ah e foi ainda pela boca da Polícia que ficou a saber que dificilmente alguém fica preso por isso...
Será que as Polícias, neste como noutros casos, não andam a ensinar os bandidos?!
O marketing é necessário, mas daí a valer tudo...

Anonymous said...

O marquetingue está abastardar as funções das forças da ordem.
O carjaquim diminuiu em Lisboa e em Setúbal devido à acção da GNR que, foi publicado nos meios, criou uma força tarefa para se concentrar em especial nesse grupo de mitras, responsáveis por dezenas de roubos de viaturas em Setúbal e Lisboa e os quais acabaram por ser apanhados em flagra.
Ora a PSP foi logo atrás e alguém, provavelmente iluminada(o) por um fugaz lampejo dum anónimo santo padroeiro, teve a brilhante ideia de pensar que com um grupo idêntico, até na composição das equipas, apanharia tão facilmente carjaquers como a minha avó caça mosquitos numa quente noite de verão.
Mas cai bem, cumpre o guião, e a encenação até permite ao ministro mostrar o seu habitual ar atarantado de quem está por dentro dos segredos das polícias, ministra e dirige. [Os cínicos, aí nas filas mais recuadas da plateia, murmuram entre si: estamos tramados.]
Como já foi aqui muito bem referenciado por outras palavras, actividade policial é uma arte. Para quem sabe. É instruído nos Segredos.
Mas os abastardoutores atiram-nos para outras esferas: as das megas operações, disto e aquilo, das apreensões de 245.344 doses, para alguém apregoar logo de seguida, e nós 375.899 e nós, asseveram os ainda mais maiores, 375.899,5!
Os abastardoutores, comissários políticos, alguns sindicalista vendidos, que foram recrutados e semeados na PSP e na PJ, estão a cumprir um meticuloso plano que vai levar à reorganização das polícias. E a GNR vai ficar por cima!
Qualquer combinação ou reclassificação do pessoal da PSP e da PJ, vai criar numa futura polícia nacional grande instabilidade dadas as enormes diferenças de vencimento. Há uma novel proposta de criar, à medida do pessoal da PSP e da GNR a integrar nessa polícia, a figura de inspector auxiliar, para assim acolher no seu farto seio os elementos da investigação criminal menos bafejados pela generosidade do Estado. Brilhante ejaculação intelectual.
Outra não menos refulgente ideia, a alternativa diabólica, é a de colocar os inspectores da PJ nas esquadras assim como eruditos, como o Alípio, bem versados em investigação criminal, para darem sugestões, conselhos, umas bocas, dicas, palpites, enfim, criarem um melhor ambiente de trabalho e melhorarem a imagem de um governo que tenta se demitir, a todo o custo, das suas obrigações.
É claro estas são apenas reflexões de teorista da conspiração como eu.
Mas convém estar a pau… Não? E martelar no assunto.

Jota

Anonymous said...

Srs policias apesar de terem alguma razão no que escrevem ,continuam a bater na tecla das capelinhas. Deixem a gaurda em paz e não se preocupem se fica por cima ou por baixo. O produto acabado é que interessa ao ciadadão pagante. Isto é : cumprir a missão.Quanto a inauguração da tal esquadra realmente não sei onde foram buscar os efectivos para mais uma guarda de honra (GH) tipo militar. Até usam espada!Mas em que ficamos? Civis, militares ou paramilitares? A lei diz uma força civil uniformizada. Logo não tem que haver replicas militares. Certo? Desta vez gostei de ver o chefe do Lisboa (COMETLIS)fardado na cegada dos ciganos em Loures. Assim tá bem. Acvompanha os seus funcionários mas a gente sabe quem é que manda.Saudações livres do cidadão livre

Anonymous said...

Ao Cidadão Livre:
Deixa transparecer que quem tem coisas mal resolvidas é o Sr.Queria que todos fossem militares?Quanto á questão do cidadão que nos paga, aqui também se pagam impostos,sabia?Quanto á questão dos funcionários, aqui lhe presto a minha homenagem, existem muitos, mas os policias são profissionais, na sua grande maioria.Acredito que saiba destingir os dois conceitos:funcionários versus policias.Quanto ao chefe do COMETLIS não merece se quer os meus humildes comentários.Por regra só costumo falar de coisas importantes, quando e da forma que quiser.O Sr.quando afirma que na Polícia há " pequenos tiranetes" deve antes de usar a palavra:
1º olhar para o espelho;
2ºquestionar a sua consciência;
3ºUsar regularmente um dicionário, para que saiba exactamente o significado de cada palavra.Só assim é possível manter a coerência no discurso.Saudações Policiais

Anonymous said...

Meu caro anterior comentador
Para que nos possamos entender em réplica lhe digo: Tenho tudo muito bem resolvido. Por isso sou um cidadão tranquilo e... livre.Parece-me que me atribui coisas que não escrevi ou então estão mal intrepretadas. Quando digo funcionários é maturalmente em sentido lato.Hã funcionários civis como há funcionários da policia ou policiais. Neste caso não veja o sentido pejorativo. Dicionário? Por acaso uso -o frequentemente porque leio muita coisa com termos errados ou imprecisos e eu gosto da precisão. Deformação ddas ciências exactas.Por tudo isto não necessito de me ver ao espelho embora o faça pela manhã (razões obvias) nem sinto necessidade de questionar a minha consciência pois como já disse vivo com tranquilidade ( até parece que sou sportinguista). Como vê melhor due isto, só de encomenda. Assim andassse o País. Vou continuar a apreciar as vossas questões como observador atento. Cordiais saudações deste cidadão livre.

Anonymous said...

O Sr. IGAI não tem comentários a fazer,sobre os incidentes com os colegas de Santarém? E as NEP`s da D.N.não vão ser alteradas? Então afinal onde estão os cowboys?Afinal senhores doutores da moral e bons costumes,era SÓ uma ocorrência com um casal de namorados!!!Cada vez mais me convenço da razão do Sr. Dr.Alberto João Jardim,o nosso querido País é" governado pelo Partido Comunista e pelo loby Gay"

Anonymous said...

Os incidentes de Santarém mais uma vez vieram evidenciar que a policia na vertente táctica não me parece estar no seu melhor. Pelas imagens que vi, reina muita confusão, muito aparato e parece-me pouco planeamento das intervenções. Mas admito estar errado. Contudo continuo a não perceber porque estes novos pina maniques ( intendentes) persistem em não aparecer fardados a chefiar as intervenções. Já aqui fiz este reparo por causa do chefe do cometlis e ele parece ter entendido. Agora a cena repete-se. Sendo a policia uma força uniformizada qual o motivo de insistirem?Como ontem era domingo estavam de folga e foram a correr? Será que querem imitar os outros que vos querem mandar inspectores para as esquadras? Só que eles são um serviço de investigação não fardados. Será uma questão para falar com o meu amigo. Até sempre. Cidadão livre e independente

Anonymous said...

Há aqui alguns comentadores que correndo eu o risco de parafrasear alguem parecem umas Alices que vivem no país das maravilhas tal a sua obsessão contra as espadas e armas e g.de honra.

Anonymous said...

Quer-me parecer que o JULY 22, 2008 1.13, deve ter pouco tempo de serviço,caso contrário não se prestava a este comentário não desconheceria que á ainda pouco tempo era a coisa mais natural deslocarem-se efectivos de uma E. para fazer sent. a outra que estivesse desfalcada isto dentro da mesma Div. para não falar das BIR, que sempre actuaram em toda a área,e não será um grande efectivo que haverá mais segurança por razões óbvias que não vou aqui expor.... actualmente quem faz estas observações talvez achasse estranho,e injustiçado se isso lhe sucedesse, sinais dos tempos.