Monday, July 28, 2008

84 / Sr. Comandante das Forças de Ocupação

O homenzinho da Madeira [de sua graça, João] desta vez ultrapassou todos os limites: as forças policiais, para além de outras, são forças de ocupação colonial. Se não fosse tão sério dava para rir. Aliás, dá para rir de qualquer maneira. Mas o assunto é sério. Não o facto do Intendente Lucas ser o Comandante da Polícia de Ocupação, que ele certamente, com o seu bom carácter, irá olhar para o assunto como quem olha para um pinsher, mas sim o facto de, já que os politicos nunca dizem nada, ao menos que a polícia de demarque. É fundamental que o faça, e que o faça já, pois o bicho ontem atacou a legitimidade da Guarda Fiscal, amanhã atacará outras legitimidades entre as quais a PSP. É que pode-se andar a brincar às autonomias, aos politicos, aos negócios dos crescidos, às lavandarias e até jogar à roleta; agora, meter a PSP no mesmo saco, faz pensar que é resultado de uma estratégia, já assumida, de provocação crescente, que tem que ser de imediato condenada. Ao Intendente Lucas, uma boa sorte nessa provincia ultramarina das bananas, são os votos policiais.

41 comments:

Anonymous said...

... Silêncio profundo...

Anonymous said...

A Madeira é do Jardim!
Ali é realmente ele quem manda e poucos ou ninguém se atreve a questionar a sua autoridade, mesmo que além do que legalmente lhe é admissível...
Constou-me que o CR Madeira é o único comando da PSP onde nunca foram efectuadas escutas telefónicas. Será verdade? Não haverá por lá criminalidade que o justifique ou será por outras razões?!

Anonymous said...

Não é que não concorde que o Presidente Alberto João, ora apelidado de "homenzinho" e de "bicho", seja efectivamente desbocado, mas daí a falar-se em estratégia concertada ou ataque à legitimidade da PSP, vai um grande passo. Porquê? Porque não há outro Comando no país, que não receba tanto apoio logístico (meios e instalações)e que, acima de tudo, seja defendido no desempenho operacional, pelo poder político, que o CR Madeira. Vale aos madeirenses e à PSP da Madeira, um Presidente que defende as suas gentes e a sua terra. Porque é que os nossos políticos não fazem isso? Seria pedir muito?
Nós, aqui pelo "rectângulo", vamos tendo Ministros que dizem que esta não é a polícia deles ou Presidentes que mandam os polícias desaparecer, ou polícias baleados por ciganos, ou reportagens de outros colegas a dormir em camaratas cheias de baratas, Esquadra devolutas, etc..., etc...
Eu gostava (mas não posso, por ora) de voltar para a ilha ...
Agentes, Chefes e Oficiais têm qualidade de vida.

Anonymous said...

Concordo com o último comentador. Além disso no aeroporto é a psp que exerce como lhe compete a autoridade. Já lá enalteci este facto. Não é como no "contenente" que é uma empresa privada a revistar os passageiros, o que é vergonhoso.

Anonymous said...

Gostava de saber por que sendo o CR Madeira função para superintendente foi nomeado um intendente que nem sequer é Madeirense? Isto para o grande Alberto deve ser mais uma desconsideração do "contenente".

Franco said...

Bolas! Caramba! Será que não ouviram o que o A.J.J. disse? O homem disse mesmo o que aqui foi 'postado'. Não se trata de ser isto ou aquilo; de ter instalações boas ou más. O homem disse mesmo que as forças de segurança eram «forças de ocupação». Reforçou ainda a idéia de que a guarda fiscal os revistava nos aeroportos e não tinha nada que o fazer porque eles eram madeirenses. Ou ouviram ou não. Se não ouviram... comentem a mensagem.

Quanto à «origem das espécies» isto de um 'não madeirense' estar na madeira, é do mais torpe que se pode dizer, quanto mais pensar. Há minhotos em Lisboa, lisboetas em Coimbra, portuenses no Alentejo, etc., etc.

Anonymous said...

Pode ser torpe mas se atendermos ao contexto do que está para trás deixa de o ser. Também náo está correcta a afirmação de que é a guarda fiscal ( que já não existe) que faz revistas no aeroporto. Sobre isto também já escrevi.Fica porém o saber da razão de ser um intendente a ocupar uma função hierarquica superior. Tá?

Anonymous said...

O Dr.Alberto João é um LÍDER, bom ou mau é outra questão.Não é como os "nossos" políticos e lideres que se põe de cócoras a qualquer "tendência alternativa".É o único que tem coragem de dizer que o País é governado pelo loby gay e pelo Partido Comunista.A nossa Instituição não tem que se meter em querelas políticas, tenham juízo, ou será que queremos servir de bordão para um partido político?Nunca vi por aqui comentários quando o BE e o PCP,dizem que somos o " braço armado do governo" e outras pérolas do género

Anonymous said...

O SR Intendente Lucas foi parar á Madeira, porque segundo dizem as "más línguas", ou as línguas não alinhadas, preteridas ou frustradas (há para todos os gostos)houve várias cambalhotas nas nomeações, darem o dito pelo naão dito,falta de carácter,entenda-se palavra,para com o visado e não só.Houve várias tropelias que os "engenheiros" fizeram a pessoas boas e principalmente competentes.A dignidade de cada um de nós não se vende, a minha solidariedade para com os dignos resistentes.

Anonymous said...

Lá estamos nós! Porque é que não se comenta o 'post' e comentam-se coisas que não foram lá escritas?

Anonymous said...

Saudações militares...
Combatendo na mesma guerra mas com fardas (e armas) diferentes tenho a dizer:
presto serviço num concelho onde co-existo com um "bando", ou mesmo, bando, de incompetentes mal formados, mal educados e com um peito de arrogância sem limites. Tais figuras têm como publicidade nos veiculos, novos como convém, os dizeres: Policia Municipal.Á sede recentemente inaugurada, com todas as valências e mordomias, chamam posto, ou esquadra, conforme o estado de espirito. Tais figuras apresentam-se como Policias? Municipais! Têm como "comandante geral" um presidente de câmara, que os usa como arma de arremessso, faz as suas cerimónias, qual "general de provincia". Não será isto mais vergonhoso?
PSP e GNR independentes das vontades politicas!
Ass: romano descalço

Anonymous said...

Leio hoje no jornal mais uma notícia acerca deuma desastrada e inqualificavel intervenção da policia sobre um mendigo infeliz que habitualmente pára no Rossio. Desta vez foi com os municipais. Curiosamente o cmdt declarou desconhecer o assunto. Para onde vamos com esta gente que diz servir e proteger o cidadão? Noutros tempos osr IGAI estaria já a investigae e a suspender os suspeitos. Agora fica tudo calado.Já nem os deficientes escapam á brutalidade desta gente. Que Deus nos acuda se ainda puder.Deus nos livre dos polícias que dos piratas livramo-nos nós. Napoleão

José said...

A razão de ser um Intendente a ocupar o lugar de CMDT da PSP da madeira ( lugar de Superintendente) é simples: neste momento não ha superintendentes, pois foram promovidos ao posto a seguir.
E estive na madeira há pouco tempo, a revista de passageiros era feita por segurança privada. E bem feita.

Anonymous said...

Se a revista no aeroporto da Madeira já é feita por privados lamento. Admira-me que o grande Alberto tivesse embarcado nisso. Enfim... mistérios.Bem ou mal feito parece-me ilegal por se tratar de mais uma alienação dos poderes do Estado. Mas com esta gente tudo é possível. Quando por lá passei até elogiei os policias. Era chefe o SupI G.Sva. Com esta notícia já não quero voltar para a ilha. Já não sei para onde ir. Espero que não censurem este meu post. Tinha deixado aqui um que não foi publicado. Gostava de ler uma apreciação à op. do banco. Depois comentarei. Nota positiva ao chefe do cometelis que voltou a aparecer fardado como deve ser e desgrado para o DN que andava por ali à paisana. Para já não falar duns rambos com a pistola metida no ... bolso da trás das calças. Mas que raio de força é esta? Para quando um nova O.S. ( para mim seria uma NEP) a regulamentar a questão de uniformes e apresentação em público. Estou para ver !Cidadão livre e independente

Anonymous said...

Oh Cidadão Livre:
Deixe lá as fardas!!!O que é preciso é fazer serviço de qualidade á população.Uniformizado ou não.Os polícias tem mais onde gastar o dinheiro, não é como na tropa que o fardamento é pago na totalidade pelo dinheiro público.Pergunte a alguém que tenha sido vítima de um criminoso se prefere que o mesmo seja apanhado por alguém uniformizado ou trajando á civil? O uniforme para os policias é tático ou ainda não percebeu isso? quanto á pistola, sabe porque a polícia matou? porque são profissionais e não funcionários como lhes chama.O senhor é que com os seus escritos, revela-se como alguém que tem coisas mal resolvidas, mas os psiquiatras não são só para os malucos.....Saudações Policiais

Anonymous said...

Meu caro
Quanto a psiquiatra, não obrigado. Estou muito bem. Oxalá o camarada(?) possa dizer o mesmo.Funcionário julgo não ter sido termo usado por mim. Noentanto se o usei diga onde pois pode ter havido razão para isso. As fardas no exercito julgo serem subsidiadas mas não pagas totalmente. O seu uso o sr pode pensar o contrário, mas acho que deve ser usada não só porque a legislaçõao o determina como identifica o agente perante o cidadão que não é obrigado a adivinhar quem tem pela frente. Não me atribua qualificações que não possuo, porque como lhe digo sou livre e independente, que é maravilhoso. Gosto de analisar,e comentar. Se não concordar comigo, paciência. Cidadão livre e independente.

Anonymous said...

Oh Cidadão Livre:
Se quiser comentar assuntos que não domina a primeira coisa a fazer é procurar ajuda, ou através de alguém que realmente saiba, ou naquilo que está escrito.Eu podia esclarecê-lo aqui, mas estava a contribiur para a sua preguiça mental.O Diário da República é grátis, dá é muito trabalho a ler.Quando eu emito opinião digo isso mesmo.Será que está a querer vender alguma coisa?
pergunto.Em relação á Polícia, aconselho-o a consultar as leis que regem este meu querido País, pois assim evita dizer disparates que em nada dignificam os seres pensantes.Saudações Policiais.

Anonymous said...

Camarada(?)
Gostaria de lhe agradecer os seus conselhos mas realmente não me servem de nada.Tudo o que preconiza é exactamente a minha prática desde há muito.Ao contrário do sr que só replica com "generalidades e culatras". Se muitas vezes não aprofundo as minhas opiniões é para não ocupar este espaço que deve ser para isso mesmo: opiniões concisas. Se pretender desenvolver alguma questão em particular é só propôr o tema. Contudo sempre lhe digo que não passei por T.Novas ou pelo Calvário. Mas tenho experiências e conhecimentos que me permitem tratar estes e outros temas sob o ponto de vista ético, técnico e deontológico. Gosto é de tratar a coisas com elevação e cortesia. Saudações civilistas. Até breve.cidadão livre e independente

Anonymous said...

"mas acho que deve ser usada não só porque a legislaçõao o determina como identifica o agente perante o cidadão que não é obrigado a adivinhar quem tem pela frente".
Oh Cidadão Livre:
Se maior disparate não houvesse, aqui está um bem evidente.Estou a citá-lo, repare!.O senso comum, diz que é tal e qual como afirma, mas as leis que regem o meu querido País, dizem exactamente como um agente da PSP se deve e pode identificar.Quando digo que o Sr diz disparates, não o faço como pessoa mal formada ou intencionada, mas porque constato factos.À luz da lei a prova da verdade elimina a calúnia,assim, no domínio ético e deontológico, acredito que os domine porque me parece uma pessoa de bem,já na questão técnica não é verdade como lhe posso facilmente comprovar.Gosto da expressão "generalidades e culatras",porque é característica dos militares, há ainda outra que gosto também muito que é "passar os olhos pelo horizonte", desde que bem enquadrada.Saudações Policiais.

Anonymous said...

Meu caro
Apesar de persistir em não querer defender os seus pontos de vista com delicadeza, devo dizer-lhe que sei perfeitamente que há outras formas de identificação. Mas também há uma coisa chamada direito de resistência, que permite ao cidadão reagir perante uma acção de alguém que ele não reconhece com legitimidade para actuar. Claro que tudo isto é muito técnico, não lhe quero retirar os méritos dos seus vastos conhecimentos, já que eu como já disse não passei por T.Novas ou pelo Calvário. Tive outros calvários bem piores.Em T.Novas só fiz "giros do horizonte".Saudações civilistas do Cidadão livre e... independente

Anonymous said...

Caro cidadão livre,
Os meus parabéns pela forma como apresenta os seus comentários. São pessoas assim que fazem falta. Tem deixado os seus pontos de vista bem vincados, sempre com elevação e nunca baixando o nível e isso é meritório!
Sou polícia e gosto de dar atenção aos comentários de outros que o não sejam. É também uma forma de avaliar a prestação policial...
No entanto, deixe-me dizer-lhe uma coisa. Não se confunda a actividade policial com a militar. Sei que têm origens muito próximas e por isso ainda há quem as confunda, mas hoje são bem distintas!
A propósito, deixo-lhe as palavras mais acertivas que, sobre esta comparação, alguma vez ouvi da boca de um militar - "a grande diferença entre nós e vocês é que vocês estão em guerra e nós não" - isto faz a diferença!
Imagine-se a vida dos polícias se não houvesse crime ou outros ilícitos... Dessa forma seria uma comparação justa!

Anonymous said...

Caro comentador anterior
Agradeço as suas palavras e concordo plenamente com elas. Os militares em tempo de paz necessitam de construir cenários de actuação enquanto a polícia confronta-se com eles inopinadamente e tem de decidir no momento.Hoje estou afastado das "guerras" mas mantenho-me um observador atento de todas as actividades militares e afins. Sou adepto do carácter civilista da policia tendo em vista a missão, contudo penso que deve ter uma matriz militar nos aspectos do comando e control, processo de decisão e conduta operacional,sem descurar a disciplina. Há áreas que deve priviligiar, como a ética e relações com o público porque é este o vosso grande "cliente". Penso que o meu ex-camarada não descurará estes aspectos quando fizer a sua directiva de planeamento.Saudações do Cidadão Livre

Anonymous said...

"Sou adepto do carácter civilista da policia tendo em vista a missão, contudo penso que deve ter uma matriz militar nos aspectos do comando e control, processo de decisão e conduta operacional,sem descurar a disciplina."
Cidadão Livre:
Explique melhor , por favor, o seguinte:
1ºNa sua opinião até onde pode ir o "caráter civilista da polícia"?
2ºA "matriz militar" se o comando decide e o operacional executa o processo, então a disciplina é imposta de forma enquadrada, é isso?
Entendendo a ÉTICA como a ciência relativa aos costumes, como o nosso público é multígeno dos mesmos, qual a exequibilidade racional?Saudações Policiais.

Anonymous said...

Se bem entendi as suas questões, o que digo é isto:A protecção de pessoas e bens, manutenção de OP, combate à criminalidade, implica um contacto e relação estreitos com a população necessariamente diferente daquele que têm os militares.A policia é um serviço público que pode ser requisitado por quem dele necessite e não está à espera de ordens de superiores hierarquicos, não sendo a hierarquia policial tão categórica quando a acção policial é solicitada por quem dela precisa. Estas são razões, direi mais que suficientes, para que a policia seja civil.´Quando me refiro à "matriz militar" é como diz,se bem que mitigada pelas razões que enunciei inicialmente.Como devo agir perante os outros? Pergunta fácil de fazer mas de dificil resposta.Esta é a questão central da Ética que não é mais que o julgamento de carácter moral de uma determinada pessoa.Daqui pode-se partir para a Deontologia que prescreve principios da conduta profissional que o bom senso aplicará.Julgo que tudo se resumirá à expressão de Saint Exupéry" a grandeza de uma função está talvez, antes de tudo, em unir os Homens".Espero ter-lhe respondido e em jeito de despedida cito o General Beaufre" se a disciplina deve ser estrita, o pensamento militar deve ser livre". ~Saudações do Cidadão Livre

Anonymous said...

"serviço público que pode ser requisitado por quem dele necessite e não está à espera de ordens de superiores hierarquicos"
Só por este pormenor, se mais não houvesse, a disciplina tem que ser ACEITE e não imposta, no princípio de que o operacional, actua maioritáriamente só.
Quanto ao "caráter civilista", não estou nada de acordo, dado que o operacional de polícia não é especialista em direito civil, nem se opõe a militares ou eclesiásticos.Um civilista pode não ser um bom civil.
No meu entendimento, devemos é aprimorar o CIVISMO, que na Polícia tem que ser uma prática corrente em todas as atitudes de cada um.Como os operacionais da Polícia são profissionais e não funcionários, entendendo como profissional o que sabe da profissão e funcionário o que executa uma função/tarefa, marcam com o civismo toda a diferença.
Quanto á ÉTICA, como ciência dos costumes é uma preocupação personalizada dos bons profissionais de polícia.O poder advém do saber.Saudações Policiais.

Anonymous said...

Meu caro comentador anterior
Quer-me parecer que estamos a dizer as mesmas coisas por palavras diferentes.Concordo com este seu último comentário com um senão. E se a disciplina não for aceite?.
Com isto, vou "entrar de licença" e ponderar se na volta regressarei a este "aquartelamento". Não deixarei porém de continuar a acompanhar o que for sendo exposto.
E já que mostrou ser um bom profissional,com bons conhecimentos técnicos, embora não o conheça pessoalmente e desconheça o sua categoria hierarquica, recomenda-lo-ia ao meu ex-camarada de armas para uma promoção por distinção a ser apreciado numa próxima reunão do conselho superior de deontologia e disciplina.
Como já fiz o espólio e com esta "guia de desembaraço" "passo à peluda".Até sempre. Saudações do Cidadão Livre

Anonymous said...

na madeira tb são seguranças a fazer revistas aos passageiros. Passou a sê-lo há cerca de 1 ano.

Anonymous said...

É pena que também o Alberto tivesse caído nesse erro. Até na Madeira o Estado abdicou de soberania ao privatizar a segurança.Teria sido imposição do "contenente"?O que sucederá se um cidadão passageiro se recusar a ser revistado por um securitas qualquer?Na minha próxima viagem por avão vou experimentar para ver como reagem.

Anonymous said...

Será medo? Inveja? Dor de cotovelo? Não querer perder o tacho? Por que será que vejo tanta gente preocupada com o facto de a segurança privada ter assumido mais responsabilidades na segurança aeroportuária?! Já passei pelos aeroportos de Lisboa e Funchal e não me parece que o serviço esteja a ser mais mal feito... bem pelo contrário! Vi um empenho que não é fácil ver nos Agentes da PSP.
A propósito, faz-me lembrar o que se passou nos estádios de futebol. Antes de haver stewart's, os agentes da PSP que ficavam junto ao campo, passavam o tempo todo a ver o futebol, virados para o relvado em vez de ficarem virados para o público... Com os stewart's isso não acontece! Nos aeroportos está-se a passar algo parecido...
Façam o vosso trabalho bem feito e não se preocupem em que alguém vos substitua. Até porque, se realmente trabalharem bem, dificilmente vos quererão substituir...

Anonymous said...

Medo de quê? Não sei se fazem o serviço melhor ou pior. Eu sei é que o Estado alienou uma função sua ,de soberania, detentora do monopólia da força a uma organização civil de vigilantes que não estão ajuramentados para funções de autoridade. Só isso. Lamento com o ainda nenhum dos ilustres juristas da nossa praça nõao levantou um problema de inconstitucionalidade. Originalidades do processo Português. Contribuinte com impostos em dia

Anonymous said...

A segurança privada já vale 800milhões de euros.Palavras para quê?

Anonymous said...

Foi quanto levaram do carro de transporte de valores?

Anonymous said...

A uns admite-se tudo e a outros nem por isso

Anonymous said...

meus amigos...

spider said...

enfim...

Anonymous said...

DE QUEM SÃO AS EMPRESAS DE VIGILANCIA A TRABALHAR NO PANORAMA NACIONAL?SERÁ QUE QUEM ANDA POR AQUI NÃO É POLÍCIA?ALGUNS PASSARAM ,OUTROS AINDA POPULAM POR CÁ,QUEM SOMOS AFINAL?VAMOS TER CORAGEM E VARRER A MERDA QUE AINDA EXISTE EM TERMOS DE SEGURANÇA NESTA NOSSA CASA.

Anonymous said...

Assino por baixo,mas cuidado porque quem assinou o cartão do sub/com da Segurança privada não vai permitir certas limpezas de animo leve.Será o mesmo que permitiu o ....... ao banco?Ou será que deu só o aval?Este já está agarrado pelos "testículos".Líder fraco,fará fraca a forte gente.....yzcgog

Anonymous said...

Parece que a policia continua a não saber actuar sem ser de forma violenta. E se tiver a TV atrás pior. As queixas das populações inocentes são mais que muitas. As TV mostraram pessoas, que nada tinham a ver com as operações que foram algemadas. Para quê?Mulheres, crianças levantadas das camas, o que é isto. Nem na guerra dita colonial se faziam coisas destas nas rusgas aos muceques. Outra gente. Firmeza não é sinónimo de violência e esta só se usa de forma proporcional q.b.À consideração do sr IGAI.Observador atento

Anonymous said...

Ao observador atento: não acha que os casos de violência e desordem públicas seriam melhor resolvidas com um abraço e um beijo dado aos meliantes e arruaceiros eu entendo, que sim .era eficás,já agora entende que o povo tem mais ou menos medo de andar na rua ou em casa que antes do 25 de Abril as condições economicas serão assim tão melhores a não ser para aqueles a quem a tal porca continua a dar de mamar

Anonymous said...

ANÓNIMOS AUGUST 1, 2008 8.06 AM Comente esta notícia que eu li num jornal de que um agente da polícia tinha sido agredido por um dificiente que costuma parar para os lados do Rossio quem os livra dos deficientes....

Anonymous said...

Aconselho-os a não fazerem comentários quante ao sr. Alberto J. Jardim , é um caso perdido a precisar de internamento.