Saturday, February 13, 2010

152 / Co-responsabilização - ( 2 )

Pois não foi um nem dois. Os Despachos que visavam dar corpo ao Estatuto da PSP foram todos revogados (ponto final parágrafo, como alguém diz com frequência!). Foi feita uma vídeo conferência em que participaram as mais altas chefias da PSP. Ok! Também participaram chefias intermédias. Uns, com o mais nobre dos empenhos; outros, só estavam ali. Havia quem defendesse com unhas e dentes o que haveria de fazer a seguir. Alguém houve, vindo de não sabemos de onde nem como, ainda que bem apoiado, cedo se verificou que não trazia o trabalho de casa bem preparado. Deu-se conta, e que isto fique bem claro, que as altas chefias não concordaram nada do que aí vem. Deram a cara e deram as razões. Mas porque não percebiam de legiferação tiveram que engolir. No fim, bem no fim, pensa-se que toda a gente ficou co-responsável. Ponto final. Parágrafo!

32 comments:

Anonymous said...

Gostei da parte "outros, só estavam ali". Enfim, nada que me admire...
Quanto ao cerne da questão, prefiro ver o lado positivo: mais vale uma má decisão do que uma não decisão e se decidiram revogar esses despachos é porque há empenho, é porque há vontade de fazer e não adoptaram a cómoda posição, tanta vezes adoptada, do "deixa andar".

Anonymous said...

PS
Inqualificável…
Sim de inqualificável, se pode caracterizar as atitudes recentes da DN. Como será possível numa (des)organização como a PSP, seguir-se a velha máxima do futebol “o que é verdade hoje, amanhã é mentira”, ou melhor na nossa Polícia, hoje em dia, o que é verdade agora, logo será mentira, sim porque não fizemos o tal trabalhinho de casa, sim porque isso dá mesmo trabalho, sim porque se quisermos ser justos, não conseguimos agradar aos “amigos” e aos amigos dos amigos.
Ao cumulo que se chegou:

1. Andaram anos para estudar e construir uma estrutura orgânica Nacional, que foi recentemente aprovada;

2. Chega-se á conclusão que afinal, temos que estragar tudo o que andamos a construir, porque a PSP tem que ser estruturada para as pessoas e não para os seus objectivos;

3. Chega-se ao ridículo de criar núcleos, em função do número de pessoas e não em função das necessidades da PSP.

Meus senhores, poderíamos continuar a relatar situações de falta de capacidade de gestão da actual DN, mas para não aumentar mais ainda o seu coeficiente de “jumentocidade”, não o fazemos aqui. Estas pessoas a gerir no privado, seriam despedidas e responsabilizadas pelos danos, no dia seguinte. Como tudo isto existe, como tudo isto é triste… tudo isto é Estado, portanto o pagode continua a pagar tais atitudes de falta de competência.

Um pedido, aos senhores iluminados:
Envergonhem-se do que fizeram, batam com a porta e não lesem mais a Polícia nem os Policias.

Autor: (PS)Policiasinaleiro

Anonymous said...

Solicito um esclarecimento ao "Policiadas":
- O despacho 20/2009 foi revogado ou alterado?
- Sendo certo que tal documento era mal formatado utópico e incongruente, certo é que é necessário em outro que o substitua, tendo em vista a conclusão da regulamentação do nosso Estatuto. Ficou isso ciente na tal videoconferência?
Agradeço resposta.

policiadas said...

POLICÍADAS não existe juridicamente de forma individual ou colectiva. Existe como corolário e congregação do ideal policial (se é que isso existe). POLICÍADAS não está presente em lado nenhum, como se de um orgão de comunicação social se tratasse; nem aparece a quem o lê como representante de quem quer que seja. Somos somente um local para apresentar umas idéias, criticar outras e sobretudo, ajudar no debate que é necessário ter. Por isso não podemos dizer que estivemos em tal local em determinado dia.
Quanto aos despachos, se for da PSP, é estar atento e ler as OS da DN para saber o que se passa. Se não for, aguarde uns dias pois acabaremos por falar no assunto.

Anonymous said...

Ok obrigado na mesma.

Anonymous said...

Todos nós temos consciência de que a instituição PSP está muito mal servida a nível de chefias. Vejamos o curso ministrado no instituto é de uma enorme mediocridade, ou seja não tem reconhecimento externo, esta limitado só à instituição, na realidade não passa de um curso técnico profissional.
Assim sendo será que existe a necessidade de o mesmo funcionar nestes moldes ? e que dizer das condições de ingresso ? isto chega ao cúmulo de numa família de dois ou três irmão todos serem oficiais. Quanto aos falsos azuis, acho sinceramente que eles não possuem capacidades técnicas e profissionais. Assim sendo, nada de bom se pode esperar para os profissionais da PSP

Anonymous said...

Lopes Martins tome juizo e não cuspa para o ar! Anónimo mas pouco. Se calhar foi a DN que fez o estatuto? Têm a versão da proposta da DN? Sim, aquela que acabava com subsidios e aumentava todos. A estrutura? Os despachos que visavam salvaguardar o vencimento de todos os agentes que perdiam subsidio de turno foram suspenso/revogados porque legalmente para alterar horários tem que se noegociar com os sindicatos, certo? E alguém, muito diligentemente quis negociar. Quanto aos colegas que perdiam o suplemento... azar! Tenham vergonha e lutem no mesmo sentido. Iluminados são os frustados que atiram verborreia como anónimos e se calam feito alcoviteiras!

Anonymous said...

Caso, seja mentira o que disse! Diga V.Ex.ª que parece ser sábio, e possuidor dessa tal licenciatura da tanga, onde pode trabalhar com ela se a polícia o dispensar.
Vale-lhe de que? Dá-lhe equivalencia a que?
Talvez a ser mestre, agora sem esforço, como foi licenciado...
Enfim...sem comentários

Anonymous said...

Ora aí está a grande diferença: não penso ser dispensado da Polícia. Gosto de ser Polícia. Não me interessa ser licenciado ou outra coisa qualquer. Sou Polícia e tenho orgulho da farda e dos homens e mulheres que me acompanham. Quanto a si... vá, vá onde lhe dão equivalências e deixe quem quer ser apenas Polícia. Parece-lhe pouco? Ressabiado...

Anonymous said...

Bruno Lameiras

Boa noite.

Uma coisa há que ser dita, nem toda a gente tira um curso superior com intuito de se fazer valer dele. Há muita gente que o faz por uma questão de formação e crescimento.

Agora não podemos exigir que alguém que termine um curso de Engenharia venha a beneficiar disso dentro da Instituição ou a ter uma remuneração superior.

Acima de tudo, há uma coisa que a rapaziada tem de interiorizar de uma vez por todas, quando concorreram para a Polícia, foi para ser Polícia!

Cumps

Anonymous said...

Gostei especialmente do último comentário, o bruno está unicamente preocupado com a sua IC. Desconhece então que por ex um licenciado em engenharia não venha a beneficiar disso dentro da Instituição ou a ter uma remuneração superior, será que esse tal licenciado ( por ex informático/elecrotécnico ) não poderia ser o responsável por o NTI/telecomunicações,um engº civil ser o responsavel do departamento de obras e infra-estruturas, porventura desconhece que as ofícinas de alfragide são chefiadas por um eng mecãnico ( colega reclassificado )
Nada disso, o importante é arranjar tacho para os oficiais, só para dar um ex o responsável do SAD é um intendente que se passeia num pomposo mitsubishi (novinho em folha )mas afinal não foi formado com dinheiro dos contribuintes para exercer funcões policiais, certamente que sim, mas outros valores se levantam.
Bruno as coisas não são assim tão lineares. Num aspecto você tem razão, são policias e assim deviam exercer a sua actividade, mas isso são outras histórias ...

Anonymous said...

Bruno Lameiras

Boa noite!

Mas quais Oficiais? Vocês a darem-lhe com os Oficiais !!!! Eu nem falei em Oficiais!!!

Todo o trabalho que não seja de cariz Operacional deveria ser feito por civis / Empresas civis. As Oficinas de Alfragide por mim já tinham acabado há muito! A manutenção de veículos era feita nas marcas e não no Sr. Zé ali do Bairro.
Em suma, Polícias = trabalho Operacional.

Cumps

Anonymous said...

Bruno Lameiras

Ups... um acréscimo! As messes tambem deveriam acabar!

(tinha-me esquecido desta)

cumps

Anonymous said...

Ó Bruno, não ves que isso é areia a mais para alguns retrógrados (infelizmente muitos) que para aqui proliferam...querem é polícias com palito na boca, barigudos e de bigode farfalhudo!
Enquanto tivermos comandantes como num caso em concreto dem comando distrital de média envergadura, que proibiu o comandante da EIC de emitir MD fora do flagrante delito porque do sitio de onde vinha a PSP não o fazia...

Anonymous said...

Bruno, você nunca fala em nada, mas as situações são demasiado evidente, então quem desempenha cargos de chefia ? será que esses tais serviços, não poderiam ser desempenhados por licenciados ( existentes na PSP )
Recente no DAE/DN era necessário pessoal da PSP titulares de licenciaturas de direito/engenharia, no entanto engenharia népia... ou será que você se esqueceu de concorrer...
Não, está demasiado entretido com a IC.
A titulo de curiosidade sabe que requisitos exigem para certas funcões de oficial no CNP ( Espanhã )... porventura não sabe, então informe-se, porque a PSP funciona e pauta-se pela mediocridade.

Anonymous said...

Bruno Lameiras

Amigo anónimo (sendo que é muito vago)

Boa noite.

Já escrevi aqui num outro post qualquer a minha opinião acerca disso, ou seja, não concordo com as carreiras de Oficiais provenientes do pessoal civil.
Defendo uma ascensão a Oficial por progressão na carreira.

A história dos Oficiais e dos Agentes e dos Agentes e dos Oficiais, já mete nojo! Faz-me lembrar as constantes lamentações de Carlos Anjos (Sindicato da PJ), por isso, não entro nelas.

Um Oficial tem o mesmo valor que um Agente, apenas em Funções diferentes.
A minha opinião mantêm-se nem que se acerca do Papa.

“Recente no DAE/DN era necessário pessoal da PSP titulares de licenciaturas de direito/engenharia, no entanto engenharia népia... ou será que você se esqueceu de concorrer...”

Sim, mas isso nunca deveria acontecer! É trabalho para civis e não para Polícias! Ou preciso por aqui a definição de “Polícia”?!

“Não, está demasiado entretido com a IC.”

Pois estou, pagam-me para isso e não para andar aqui a fazer novelas. Sou um profissional de POLÍCIA 100% dedicado.

“A titulo de curiosidade sabe que requisitos exigem para certas funções de oficial no CNP (Espanha )... Porventura não sabe, então informe-se, porque a PSP funciona e pauta-se pela mediocridade.”

Certamente em Espanha, haverá muitas outras coisas diferentes das vigentes em Portugal.

Felizmente, isto é Portugal, não é Espanha!

Quem está insatisfeito na PSP e quer-se fazer valer do curso superior que tirou, tem bom remédio, Licença sem vencimento. Aqui desejam-se profissionais que suem a camisola e não se andem sempre a chorar.

(E a partir de agora só vou responder a comentários que revelem algum fundamento e coerência)

Cumps a todos

ASPP said...

A PSP no seu melhor, mas ainda bem que existe este blog e outros fóruns onde a rapaziada pode "esvaziar o saco" mesmo que seja só para dizer disparates e despejar "veneno".

Anonymous said...

Nao sou filiado em nenhum sindicato/associação da PSP, mas sim senhor que grande moral por parte deste " sindicato " vir criticar terceiros afirmando que só dizem disparates e despejam "veneno".

Olhem para vocês, pelas figurinhas tristes e ridiculas que muitos dos vossos dirigente fazem, alguns parecem comediantes de circo, enfim, vocês não são dignos de representar uma instituição, mas como estamos no país das bananas tudo é permitido, menos o debate de ideias tipíco de países de regime totalitário ao qual vocês se querem assemelhar.

Anonymous said...

Bruno Lameiras

Olha...

E acerca dos Sindicatos, é tudo para acabar!

São muitos e os que há não prestam. Aliás, lamentavel o discurso de alguem ligado à ASPP.
Quando temos um sindicato de diz o que todos estão a lêr, agora imaginem como nos defendem.

Cumps

policiadas said...

Sejam bem vindos! Com veneno ou não. POLICÍADAS tem opinião, bem expressa ao longo do blogue, acerca de 'sindicalistas' e 'sindicatos'. Não podemos é deixar de saudar a entrada em comentário da ASPP, ainda que seja local (Lamego-Viseu).

Anonymous said...

Será só a aspp, que é má ou haverá por aí mais algum sindicato ou associação que não interessa.

Um dos "iluminados" said...

Mas que raio fez a DN entre 14OUT e 31DEZ2009?

Descobriu em 2010 que havia um novo Estatuto em vigor?

E não foi por falta de aviso de quem comanda no terreno!

Quer fazer agora num ápice e já durante a vigência do Estatuto o que não foi capaz de fazer em 2 meses e meio?

E havia necessidade de tal demonstração de puro amadorismo ao alegar-se que "nada se tem a ver com este estatuto" e estar-se literalmente a fazer tudo em cima do calcanhar?

Não se acompanhou a produção da "legiferação" porquê?

Esta questão para mim é fundamental: Falta de interesse? Desconhecimento? Incompetência? Falta capacidade de influência? Falta de tomates junto do poder político? Falta de quê?

É que alguma coisa deve ter faltado caso contrário não se estaria neste limbo vergonhoso.

A distribuição de lugares, recrutamentos excepcionais que se tornaram normais e de graduações pela família, amigos e próximos não deixaram tempo para mais?

Quando se pretere a competência e o profissionalismo em favor de interesses particulares, ainda que efémeros mas obscuros e sancionáveis, o resultado não poderia ser outro.

E ainda será pior até que a credibilidade seja novamente reposta junto de quem se comanda.

E o que "vinha bem apoiado", bem apoiado continua!!!!

Anonymous said...

Ponto final, parágrafo.

Lima said...

Com que então acabar com os subsídios,e aumentar todos por igual,mas não será injusto tratar de igual modo o que é diferente,a não ser que se acabasse com muitos serviços internos,os que aí o prestam não saem de lá para beneficiarem de suplementos,até em matéria de aposentação, devia ser levado em conta quem sempre andou no paralelo,convenhamos não é mesmo que passar as noites a dormir, muitas vezes com temperaturas quase negativas,sábados domingos e feriados + pontes onde andam os descontentes.

Lima said...

Aqueles a quem causa tanta repulsa ,haver mecânicos,messes,etc.,não se pronunciarem talvez por esquecimento, se tambem todos os serviços burocráticos deviam ser assegurados por empresas.

Anonymous said...

A opinião do Lima é a prova que esta matéria dos subsidios não é consensual e nunca será justa, seja qual for a legislação que seja elaborada. Seria efectivamente mais correcto que quem anda na rua tivesse outro tipo de incentivo. Contudo também posso dizer que fui operacional, passei pelo burocrático e regressei ao operacional e, neste momento não há praticamente ninguém que queira ir para uma secretária, sem subsidios e que, aqueles que lá estão e querem sair não saiem porque superiormente não deixam, porque não há quem substitua. Opiniões já verificamos, aqui, haver muitas mas soluções concretas alguém terá?

João Carreira

ASPP said...

A ASPP (Lamego) anda aqui desde o inicio deste blog...
Alias, foi um erro crasso fazer o comentário tendo a sessão aberta nesse utilizador, mas também não se vai agora apagar o comentário.
Por outro lado, deixo aqui só um pequeno reparo: Quem representa a PSP perante o poder político?!... São os sindicalistas ou o Sr. Director Nacional?!...
Se querem apontar o dedo, talvez seja bom olharmos um pouco para o nosso umbigo. Aliás, a ASPP é muito maior que o fulano x ou y que a representa.
Juízo.Tenham juízo. Já repararam que aquilo que pensam sobre os sindicatos há pessoas a pensar da PSP. Também esta é para acabar?!...

Lim said...

Mas alguém dúvida que o falatório da junção das duas polícias tem a ver com a ileminação dos sindicatos, como se costuma dizer existem muitas maneiras de matar pulgas, e nem sempre quem está á frente das instituições está da boa fé e com a intenção de as defender, estabelecendo um paralelo veja-se, a mexida do governo nos certificados de aforro,mais não foi que afuguentar os depositantes, aforradores que numa instituição do Estado, de forma diplomática servindo interesses privados, agora muitos deles a braços com o problema de não verem mais o dinheiro, . Os que fizeram o 25 de Abril deviam ter uma palavra,o seu nome está a ser enlameado.

Serpico said...

O Lima se acha que a existência dos Sindicatos na PSP constitui uma séria ameaça aos interesses do poder político ao ponto destes considerarem a fusão das duas F.S. como meio de extinguirem os sindicatos, então engana-se profundamente: os Sindicatos na PSP não significam NADA a não ser para quem os integra.
A não ser que surja qualquer acontecimento inopinado que crie nas hostes policiais um profundo sentimento emocional de revolta, os sindicatos não conseguirão mobilizar o grosso do efectivo para seja lá o que for.

Lima said...

De acordo, não era esse o sentido nem a interpretação,que queria dar ao comentário que fiz, mas que existe quem queira acabar com os sindicatos, é verdade se calhar com alguma razão, a começar por aqueles que fazem comentários empolgantes alelando a formas de protesto radicais,é que nem sempre o que parece é.

Mendes said...

Resumindo e conluíndo,está mais que provado,este país não mais volta a entrar nos eixos, governado por políticos amadores e analfabetos que têm desgovernado desde o 25 de Abril,a democracia é cara,as ditaduras é que não, disse em tempos um iluminado político, que agora vem dizer que a tomada destas medidas pelo governo são indispensáveis,grande visionário, só agora viu o roubo que o país estava a ser alvo quando outros já viam á uma dezena de anos, o melhor seria dizer-lhes,a todos ó políticos desapareçam!!!! ,estão a ser precisos é um carro fantasma e uns dentes de ouro, para resolver o problema á boa maneira dos bons velhos tempos.

Lima said...

Não estou de acordo com a fusão das polícias, mas sim concordo que devem ser postas cada uma no devido lugar,Portugal nunca foi pioneiro em nada sempre copiou modelos de outros países,porque razão, ou carga de água, viria a propósito tal invenção portuguesa, quando na maioria senão todos os países Europeus se processa de modo contrário,lá está,.. a tal esperteza saloia dos portugueses,de que mais tarde se veria os resultados, mas não haveria responsáveis como é crónico e de boa norma.