Thursday, January 1, 2009

106 / O PREOCUPADOR GERAL

Ser PROCURADOR é ter que tratar com cuidado de negócios alheios, administrar, governar, fazer expiações, afastar, desviar uma coisa funesta. Em bom português é o que deve fazer qualquer indivíduo que represente juridicamente qualquer pessoa, para além dela própria. É para isso que lhe pagam. Na Lei Orgânica do Ministério Público [ ESTATUTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO Aprovado pela Lei nº 47/86, de 15 de Outubro com as alterações introduzidas pelas Leis nºs 2/90, de 20 de Janeiro, 23/92, de 20 de Agosto, 10/94, de 5 de Maio e 60/98, de 27 de Agosto ] no seu artigo 12.º, encontram-se descritas as funções do Procurador Geral da República. De todas elas, não se viu lá escrito, por mais voltas que se desse ao texto, a função de ser o indivíduo que se encarrega de alarmar as populações. O PGR quando fala, a sua imagem serena e séria, traída pela sua pronuncia beirã, faz com que as coisas sérias que diz o não pareçam tanto. Mas quando o PGR insiste em vir falar daquilo que não deve, e começa a fazer de tarólogo, as coisas complicam-se. Vejamos: no Correio da Manhã [30.12.08] vem assim - «PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA ALERTA "Criminalidade vai aumentar"; o próximo ano poderá ocorrer em Portugal "uma explosão de violência"; "Sempre que que existe uma crise social, um dos factores que dispara é o desemprego, disparando imediatamente a criminalidade".» Então, Senhor Procurador!!! Não é preciso ir a Coimbra tirar um curso para se saber disso. O que nós queríamos saber, é se o o Sr. PGR vai fazer alguma coisa. Que medidas vai tomar para afastar, desviar e combater a coisa funesta? O que é que vai fazer? Entretanto se nada fizer, ao menos não se transforme no PREOCUPADOR GERAL DA REPÚBLICA.

18 comments:

Francelina - a polícia felina said...

Já tínhamos o Director Geral da Gripe Aviária, Dr. George, O Ministro para os Assuntos da Carla Bruni, o Ministro para os Interesses dos Camelos, etc., etc. portanto ter um PREOCUPADOR GERAL... Tá fixe, meu.

Anonymous said...

O que diz o Sr Procurador está certo.A forma e o contexto em que o faz é que me parece pouco hábil.Ele sabe que não só o desemprego, bem como três campanhas eleitorais(TRÊS), com toda a verborreia política associada e ainda a ineficácia policial.No que respeita á ineficácia policial, o grande problema é a falta de qualquer tipo de estratégia,em virtude de ausência de liderança.A questão é simples, para haver estratégia tem que haver liderança com capacidade, incluindo afrontar o poder político. Isso meus caros, não encontro por aqui por mais que procure.Aqui a cobardia profissional reinará, porquanto alguns só conseguem enxergar no horizonte, a cadeira do poder.Muito preocupante é a matriz ideológica que nos governa que vai permanecer no poder por vários anos, muito por ausência de oposição, bem como por estratégia(aqui sim)na colocação dos elementos do "Grupo de Macau" e "Maçonaria".Reparem cuidadosamente nas Forças e Serviços de segurança, quantos elementos destes grupos lá estão e que lugares ocupam.
As preocupações do Sr Procurador são autênticas e fundamentadas, eu também compartilho dessas preocupações e estou certo de que todos os homens de bem.

Franco said...

Acho que todos nós temos as preocupações do Sr. PGR. O que não está certo é ser ele, que afinal combate os «fogos» vir a dize-lo. É como aquele indivíduo que trabalha na inactivação de engenhos explosivos que tem escrito na camisola «se me vires a correr, corre mais depressa do que eu!» O Sr. PGR por mais razões que tenha, não pode ter para a população o discurso que tem, pois as pessoas questionam: -se quem está lá não consegue fazer nada, coitados de nós! Este é o discurso que tem que ser combatido. Além disso o PGR deve deixar de falar com os jornalistas como se estivesse a falar com amigos à mesa do café.

Anonymous said...

Fico com a ideia que o segundo comentador, propõem um golpe de Estado,mas este é o poder político que o povo escolheu, não se pode substiruir a este, espere por eleições,embora não seja de esperar grande coisa.

Anonymous said...

January 2, 2009 6:14 AM

Esclarecimento:
POVO=10 Milhões de portugueses;
ELEITORES=7/8 Milhões;
VOTANTES=3 Milhões.
Portanto aconselho-o a ter mais cuidado com o que diz, para que não seja asneira.Se a sua afirmação tiver sido consciente, deixe-me dizer-lhe que vai dar um bom político, ou seja, não verdadeiro.O actual governo foi eleito com cerca de UM MILHÃO E SETECENTOS MIL VOTOS.
Espero ter ajudado, para que não use a palavra de uma forma sub-reptícia,que em nada honra quem a usa dessa forma.
O POVO está saturado destes políticos, basta olhar para a abstenção.Por acaso e só por acaso, não faz parte de nenhum dos grupos referênciados?Faz?

Anonymous said...

Pronto! Voltamos a pegar.nos uns com os outros!

Anonymous said...

Em relação ao comentador que lança o tema da "coluna vertebral" (que falta) este problema só irá continuar. Com a entrada em vigor da Lei 12/2008 (não se viu VERDADEIRAMENTE NINGUÉM - hierarquia e sindicatos - lutar contra a inclusão da PSP nessa Lei) somos civis - totalmente- senão vejam as notícias do CM de hoje sobre o futuro estatuto da PSP. Está lá implícito, a DGAP não permite criar mais carreiras porque pretendem uniformizá-las com as "outras". A nós só nos restará dizer ámen ?

Anonymous said...

Quanto ás suas contas,aos milhões de portugueses votantes ou não,já eu as tinha feito, descontando 5 milhões que vivem no estranjeiro,mas nesse caso á de alterar a Constituição, desde que as eleições não atinjam uma certa percentagem de votantes, ponderar outra forma de nomear governo , de iniciativa presidencial, por exemplo.

Anonymous said...

PS= Não pertenço a grupos, nem sou adepto da teoria da conspiração.

Anonymous said...

que raio de discussão... 1 votante, 2 votantes, que é que isso interessa, o sistema eleitoral é assim
e não é à PSP que cabe alterá-lo, discutam assuntos do nosso REAL interesse

Anonymous said...

January 3, 2009 1:46 PM

Se o sistema político não lhe interessa, então só pode ser anarka ou vive sózinho, porque política são formas de viver em sociedade e não mais do que isso.Quanto aos assuntos do nosso REAL interesse Vc é que não contribuíu em nada com o seu comentário, percebeu?

Anonymous said...

Creio que caso da maior ou menor expressão eleitoral,não é o que de facto mais deve preocupar a psp,mas como um comentador trouxe o assunto á coacção,criticando a fraca base de apoio do governo, embora não tenha sido essa a totalidade dos votos expressos, a oposição conta.Então qual outro sistema que defende,faz-me lembrar os monárquicos,que também vêm com o mesmo argumento em releção ao Presidente da República,mas já acham bem que haja um rei, eleito com 0000 votos,além disso lembro-lhe outro método de eleição, que vigorava antes do 25 de Abril,que julgo não defenderá,não sei quantos votantes havia,seguramente não chegavam a um milhão,mas posso afirmar eram só os funcionários públicos a quem era enviado o boletim de voto, obrigatório, um sistema ,tão eficáz durou 48 anos,não quero com isto dizer que concorde com tudo o que se tem passado a nível de político nestes ùltimos anos.

Anonymous said...

Mais carreiras?????!!!!!,para quê, para ficarem sentados á secretária,que era o que faziam os S/C Aj.e S/C Princ.até os ag. Princ. já queriam fazer o mesmo, eu até acho que actualmente já existem demais, o atendimento ao público, exige saber e trabalho, não acomodados.

Anonymous said...

Os últimos acontecimentos na Amadora, vêm dar razão ao PGR.
Uns sabem do que falam, outros não pensam o que dizem.
Presciência... uns têm outros não.

Anonymous said...

O que o PGR disse toda a gente sabe, ele não pode ser mais um igual,lamechas a juntar a tantos outros, não é essa a sua função mas resolver os casos, é que de quem fale, se lamente e nada faça, nem deixe fazer, já todos começam a ficar fartos, mais lamentável ainda se forem titulares de orgãos que tem o dever de resolver e se dizem sempre preocupados em ouvir e resolver as preocupações dos cidadãos.

Anonymous said...

A respeito de rsponsabilização, costuma-se dizer, não queiras para os outros o que não desejas para ti,mais,quando esses actos não são praticados em nome pessoal, mas em nome do povo ,então que tal agora que ainda estão a iniciciar e saborear a experiência ainda não têm muito que contar, mas e já se fartam de chorar.

Anonymous said...

Não sei bem porquê, mas apetecia-me colocar aqui,as fotografias, dados pessoais e vida privada de todos os ministros. Que acham da ideia.

Anonymous said...

February 15, 2009 4:13 AM

Há sempre alguma coisa que se pode dizer sem ter problemas, força!Há sempre uns cabeleireiros, lojas de marca, restaurantes chiques, etc, em que se pode falar.Cego não é o que não vê, mas aquele que não quer ver, logo.......